(Foto: Mailson Santana/FFC)

Cheio de jovens de sua base no elenco profissional, o Fluminense é um clube que, historicamente, aproveita bem os atletas formados em casa. Os atletas experientes do grupo como Nenê e Fred, por exemplo, funcionam como uma espécie de tutor da garotada.

Em entrevista, o lateral-esquerdo Egídio, mais um dos experientes do elenco verde, branco e grená, contou como é a interação com a molecada de Xerém e admitiu que os jogadores que sobem da base têm muita personalidade.

– Tenho muita interação com os moleques. São gente boa, gostam de jogar futebol. Eles têm personalidade, coragem. Moleques de 18, 19, 20 anos. Sempre vem conversar com a gente. Falamos com eles. O caminho realmente é longo. Temos uma interação boa. Tanto que toco, passo, recebo, eles sabem onde a gente vai estar. Eu, Nenê, Fred, conversamos com eles e entre nós também sobre como vamos fazer. Claro que o Marcão que comanda, mas dentro de campo conversamos também. Essa mescla tem de acontecer. Tem de ter aqueles para pensar e os outros com a energia. Essa interação e mescla é importante. Não só os experientes estão se sobressaindo. Estamos numa conexão muito boa.