Em congresso, Conmebol discute o fim dos direitos econômicos

Em congresso, Conmebol discute o fim dos direitos econômicos

Durante a mesa-redonda que finalizou o primeiro dia do 3º Congresso Internacional de Direito Desportivo, na sede do Ministério Público, em Porto Alegre, o diretor para assuntos jurídicos da Conmebol, o espanhol Gorka Villar, manifestou a posição favorável à dos clubes brasileiros e contra a extinção dos direitos econômicos, algo proposto pela Uefa na Europa e que entra em debate na Fifa. A entidade sul-americana irá repassar nas próximas semanas seu posicionamento para o órgão comandante do futebol mundial. O movimento acaba ajudando a briga de uma série de clubes brasileiros contra uma proposição do Ministério dos Esportes, em medida provisória, que proibiria investidores de comprar fatia dos direitos de jogadores.

A discussão era um dos assuntos previstos na pauta do dia. Além de Gorka, estiveram presentes do advogado do Porto, Daniel Lorenz Pereira – o clube é um dos expoentes em lutar contra o fim dos direitos econômicos na Europa -, Daniel Cravo, um dos organizadores do evento e representante do Inter em negociações com o Ministério do Esporte, e Horácio Mullin, advogado uruguaio.

– A Conmebol é contra a extinção dos direitos econômicos. Vamos passar esse posicionamento para a Fifa daqui há algumas semanas. A entidade vai debater essa questão e vai ouvir suas filiadas. Nós diremos que somos contra. Mas não temos pressa, isso é uma questão que vai demorar ainda. A Fifa tem que debater também sobre a regulamentação para passar para suas afiliadas – garantiu Gorka.