Muricy Ramalho afirma ainda ter muito carinho pelo Fluminense (Foto: Photocamera)
Muricy Ramalho afirma ainda ter muito carinho pelo Fluminense (Foto: Photocamera)

Campeão brasileiro pelo Fluminense em 2010, Muricy Ramalho deixou o Fluminense brigado com o presidente Peter Siemsen no ano seguinte. Essa decisão, até hoje ainda é alvo de dúvidas para algumas pessoas. Em entrevista à Rádio Bradesco, o técnico voltou a falar de sua saída do clube e lembra das mudanças no clube com a exclusão de pessoas que ele tinha consideração.

– Deixei muitos amigos no Fluminense, como roupeiros e dirigentes. Quando disse não para a seleção brasileira, fui muito correto, e começamos a ganhar o Campeonato Brasileiro ali. Só que depois mexeram com assessor de imprensa, dirigente e pessoas do seu dia a dia. Eu me apego muito às pessoas. Não sou de levar gente comigo, além do Tata (assistente técnico). Não mexi com ninguém que estava lá, mas depois começaram a mexer. Foi assim com o Alexandre, assessor de imprensa, que é um cara sensacional; o Alcides (Antunes), que era dirigente. Falei não para a seleção brasileira e falei não para estas mudanças. Tenho um carinho enorme pelo clube. Falaram muita coisa depois da minha saída do Fluminense, mas conquistei o título brasileiro, e isso não esqueço – disse.

Muricy Ramalho foi contratado ainda na gestão de Roberto Horcades, mas não aprovou tais mudanças feitas pela diretoria comandada por Peter Siemsen.


Sem comentários