O Fluminense começou mal o duelo das oitavas de final da Copa do Brasil contra o Criciúma. Na noite desta terça, foi derrotado por 2 a 1, no Heriberto Hulse, em partida que deixou demais a desejar no quesito atuação. Chegou a estar perdendo por 2 a 0, mas ainda conseguiu diminuir um prejuízo que seria enorme diante de um adversário limitadíssimo. Hygor e Fellipe Matheus (de pênalti) marcaram para os mandantes. Também em penalidade, Abel Hernández descontou. A volta é no próximo sábado, no Maracanã. Para avançar, a equipe das Laranjeiras terá de vencer por dois gols de diferença ou um para decidir nos pênaltis.

Contra um time da Segunda Divisão, o Fluminense tentou tomar as rédeas do confronto. Ficava bem mais com a posse de bola, mas daí a saber o que fazer com ela já era outra história.

A equipe tricolor abusava dos passes de lado e para trás, com objetividade quase zero. Isso quando não os errava. Até tentava de vez em quando pelos lados. As peças, porém, estavam bem apagadas. Biel, Nenê, Fred e os laterais não conseguiam muita sequência. Luiz Henrique, pela direita, era o menos ruim.

Já o Criciúma, fechadinho, também não levava perigo exceto por alguns chutes de longa distância. Chegaram a tentar dessa maneira em duas oportunidades defendidas facilmente por Marcos Felipe. Na terceira, conseguiram finalizar um primeiro tempo bem ruim de se ver com um gol feio para fazer jus. Eduardo tentou bater de longe e a pelota desviou (sem querer) em Hygor, matando o goleiro tricolor. Atras no marcador, o Flu foi ameaçar de fato numa cabeçada de Fred em escanteio cobrado Nenê que resvalou no travessão. Pouco demais…

Veio o segundo tempo e o Fluminense procurou imprimir uma postura um pouco mais forte. Foi para a pressão e empurrou o Criciúma no seu campo de defesa. Mas na primeira saída dos catarinenses, com o auxílio do VAR, o árbitro potiguar Caio Max Augusto achou pênalti de Egídio em Dudu (ex-Flu). Na cobrança, Fellipe Matheus deslocou Marcos Felipe e ampliou.

Em enorme desvantagem, Roger Machado resolveu mexer por atacado na equipe. Saíram Nenê, Luiz Henrique e Fred para as entradas de Ganso, Matheus Martins e Abel Hernández, respectivamente. Logo na seguida, o camisa 10 cruzou bola na área e Luccas Claro foi empurrado. Penalidade que o centroavante uruguaio não desperdiçou.

O gol deu certa moral para a equipe ainda tentar pressionar nos minutos finais, mas não foi o suficiente para alcançar a igualdade. Ainda assim, diante do panorama que chegou a se desenhar, não ficou tão ruim. Numa partida paupérrima, o Flu traz um resultado reversível para o duelo de volta no Maracanã.

O Fluminense jogou com: Marcos Felipe, Samuel Xavier, Manoel, Luccas Claro e Egídio; Martinelli, Yago (John Kennedy, 41′ do 2ºT) e Nenê (Ganso, 22′ do 2ºT); Gabriel Teixeira (Kayky, 34′ do 2ºT), Luiz Henrique (Matheus Martins, 22′ do 2ºT) e Fred (Abel Hernández, 22′ do 2ºT).