Em sétimo lugar atualmente no Campeonato Brasileiro, o Fluminense não conseguiu conquistar nenhum grande título em 2020. Para, ao menos, diminuir o prejuízo, torcedores cobram mais ação da diretoria e dos atletas.

Através das redes sociais, o Sobranada, tradicional organizada verde, branca e grená, pressionou os dirigentes, exigiu respeito às tradições e cobrou, ao menos, classificação à Libertadores da América.

Confira o conteúdo:

A temporada 2020/2021 está marcada no Fluminense, até o momento, pelos fracassos: desclassificados na Copa-Sulamericana por um pequeno clube chileno, derrotados na final do Campeonato Estadual pelo maior rival, eliminados da Copa do Brasil por um adversário sem história. Péssimos resultados esportivos que trouxeram, lado a lado, prejuízos financeiros. A expressão linha tênue significa a existência de um espaço muito pequeno entre sentimentos antagônicos: o sucesso e o fracasso, a coragem e a imprudência, temos que conseguir essa classificação. É o mínimo que pedimos, mesmo sabendo que é o máximo que queremos. A nossa linha tênue é a que prefere ver o copo sempre cheio. Estaremos atentos!

Servirá para a escolha de que lado da linha tênue estaremos. Derrotas fazem parte do dia a dia. Já vergonhas como da última quarta-feira, na derrota por 5 x 0 para o Corinthians, tem que ser cobradas. No momento certo. Tem sido uma época difícil. Não poder estar nos estádios a glória e a desonra, o amor e o ódio.

Como um movimento que expressa a verdadeira e pura veneração ao Fluminense, assumimos que somente a classificação final no atual Campeonato Brasileiro, que nos conduza à classificação para a próxima Taça Libertadores, fazendo a nossa parte nessa reta final é frustrante. É o campeonato brasileiro mais fácil da história, nivelado por baixo. E se o Fluminense tem chances de classificação para à Libertadores, não admitimos que se abra mão dela. Pedimos encarecidamente aos jogadores e diretoria que entendam isso, para tanto terão a nossa energia sempre positiva.

Não é hora para divisões ou rachas, o coletivo dos jogadores tem que entender o tamanho da camisa e da torcida do Fluminense.

A nossa corrente é de uma fé inquebrantável.