(Foto: Lucas Merçon/FFC)

Aconteceu na noite de terça-feira, nas Laranjeiras, reunião do Conselho Deliberativo. Nela, Marcelo Teixeira foi ouvido. Ele defendeu o projeto Samorin e também expôs as dificuldades da base. Segundo apurou o NETFLU, o diretor esportivo das categorias inferiores, exemplificou dizendo que o São Paulo gasta R$ 25 milhões com a base e o Fluminense, menos de R$ 20 milhões.

Teixeira destacou que o Fluminense está sem dinheiro nenhum para participar de competições na Europa, o que é ruim por minar a experiência dos jogadores formados em casa. Por ele, não existiria só o Samorin, mas também um Flu B no Brasil e outra filial na Europa.

O diretor esportivo da base destacou ainda que no Brasil o Campeonato Brasileiro de Aspirantes, conforme desejo da CBF, virará uma realidade. Isso pode facilitar o Fluminense B. O próprio defende tal competição em reuniões na entidade máxima do futebol nacional.

Na visão de Teixeira, o Fluminense está encolhendo, o que é péssimo.


Notícias pelo Messenger Notícias pelo Messenger