Fluminense e Flamengo se enfrentarão pela nona rodada do Brasileirão em São Paulo (Foto: Mailson Santana - FFC)

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) elaborou um protocolo para a realização da final do Campeonato Carioca entre Fluminense e Flamengo, no próximo sábado, seja realizada com a presença de público. O rival é favorável e o Tricolor, contra.

Com o intuito de liberar a venda de 18 mil ingressos, a Ferj propõe uma estrutura de testagem para Covid-19 no estádio de atletismo Célio de Barros, parte do complexo. O pedido, em princípio, foi rechaçado pela Prefeitura do Rio de Janeiro, mas a entidade promete insistir.

Saiba quem, segundo o protocolo da Ferj, poderia entrar no estádio.

— que tivessem um teste de swab (o RT-PCR, aquele do cotonete) negativo para covid-19 feito até 36 horas antes do início da partida;
— documento que comprove a imunização para covid-19 (duas doses da vacina, com 14 dias desde a aplicação da segunda dose);
— exame que comprove a presença de anticorpos para covid-19 (por já ter contraído a doença) até seis meses antes da data do confronto.

Quem portar o ingresso fará o teste gratuidamente. Se der negativo, receberá uma pulseira comprovando o resultado e a autorização para entrar no estádio. Quem fizer a testagem por conta própria terá de mostrá-lo em baias criadas ao redor do estádio e, assim, pegar a pulseira.

Mesmo assim, a secretaria de Saúde do Rio não gostou do plano. Há preocupações com relação às testagens RT-PCR, que só identificam casos positivos a partir do terceiro ou quarto dia de contaminação, portanto a chance de um falso positivo em exames feitos até 36 horas antes são maiores do que daqueles feitos com intervalo de tempo superior.

Pelo protocolo da Ferj, os torcedores também seriam obrigados a usar máscaras o tempo todo dentro do Maracanã e respeitar uma distância mínima de 1,5 m entre os assentos (algo também de difícil execução, no entendimento da Prefeitura do Rio).