Foto: Mailson Santana/FFC

Com o pires na mão, a diretoria do Fluminense vem encarando um forte assédio em torno do atacante Matheus Martins, atualmente titular da equipe. A Udinese (ITA) aumentou a proposta para 6 milhões de euros (R$ 32 milhões), mas recebeu um novo não. Esse “não”, contudo, veio a partir de diversas ponderações, dada a situação financeira atual. Em paralelo, o zagueiro Nino também vem sendo assediado pelo futebol português e turco. Ambos também não chegaram no patamar financeiro desejado pelo clube das Laranjeiras que, por ora, segue batendo o pé. Internamente, entretanto, entende-se que é inevitável “liberar” pelo menos um deles, ainda com a possibilidade dos dois saírem.

O NETFLU apurou que diretoria já comunicou ao técnico Fernando Diniz que, neste primeiro momento, precisa fazer uma escolha. A ideia é tentar manter todos os ativos até o fim das campanhas na Copa do Brasil e Brasileirão, em busca de voos maiores e valorização. Porém, compromisso selados com atletas, pagamentos de dívidas e acordos judiciais podem pesar.

Antes das ofertas da Udinese, o Fluminense chegou a receber uma oferta do Lokomotiv, da Rússia, por 100% dos direitos econômicos e exigindo saída imediata. A proposta também foi recusada. Matheus Martins tem 19 anos e soma 20 jogos na temporada de 2022, com cinco gols e uma assistência. Já Nino, que não foi negociado com o futebol mexicano no início da temporada, tem 171 jogos com a camisa tricolor e oito gols.