Abel Braga tem enorme história no Fluminense, onde foi campeão brasileiro em 2012 (Foto: Ricardo Ayres - Photocamera)

Treinador com enorme história no Fluminense, Abel Braga recebeu a licença pró da Uefa e assim poderá comandar o Lugano, da Suíça, seu atual clube, sem quaisquer limitações na Europa. E o técnico obteve tal diploma sem precisar passar pelo curso da federação, mas sim por ter sua competência reconhecida. Ele foi o primeiro brasileiro a obter tal condecoração por parte da entidade europeia.

Abelão possui diversos títulos na carreira, como o Brasileirão de 2012 pelo Fluminense (onde também conquistou dois cariocas – 2005 e 2012), a Libertadores e o Mundial pelo Internacional em 2006.

— Foi emocionante, porque é realmente um reconhecimento. Foi muito legal, pois acho que o reconhecimento é uma coisa importante porque mostra conduta. Quem não tem conduta, não tem reconhecimento. Quem não é reto, não tem reconhecimento. E nesses 30 anos tenho que dizer que sou grato, muito grato ao futebol e às alegrias imensas que me deu. Aos milhares de amigos – disse.

O processo de reconhecimento começou desde sua chegada ao Lugano e ele chegou a ser avaliado por dois profissionais da federação. A CBF também ajudou com o envio de documentos comprovando os diversos clubes pelos quais passou no país.

— Eles foram em um dia daqueles de pegar forte no treino, e houve uma variação muito grande nos treinos, o que foi muito positivo. Eram ex-jogadores, que depois foram para a minha sala, e conversamos por uma hora e meia. Falamos de como eu vejo o futebol, no que acredito, filosofia, essa coisa toda. O papo foi muito bom, em francês. Claro que nesse papo e pelo currículo, número de títulos, eles viram que não estavam falando com qualquer um (risos) – contou.

Com o reconhecimento, Abel recebeu ainda convite para possíveis palestras a aspirantes a técnicos na Suíça e espera abrir caminho para mais brasileiros trilharem caminho de sucesso em terras europeias.

— Espero realmente que meus colegas do Brasil possam conseguir isso, porque é um negócio que todo mundo tenta há muito tempo, e sempre tivemos dificuldade pelo não-reconhecimento do curso (da CBF). O pessoal da CBF vem tentando nos atender, mas tinha uma barreira grande – comentou.

Abelão conseguiu honraria inédita para um técnico brasileiro na Europa (Foto: Arquivo pessoal)