Gabriel teve duas passagens pelo Fluminense (Foto: Arquivo pessoal)

Se o futmesa já caiu no gosto de boleiros, o ex-jogador do Fluminense Gabriel está empenhado em levar uma nova modalidade ao Mundial do Qatar, em 2022. Trata-se da arena de futmesa. O ex-lateral-direito inaugurou o novo conceito na semana passada em São Paulo com outros dois atletas aposentados como sócios, Victor Pelae e Marcelo Maciel.

O empreendimento fica no bairro do Campo Belo, na Zona Sul da capital paulista e tem o nome de “Thesaint Mafia Arena”, mesma alcunha da sua marca de roupas.

— Comecei a praticar esse esporte no início e é superfácil, né? Basta ter uma mesa e alguém que saiba e goste de jogar do outro lado. Eu jogava com o Victor em uma quadra de squash nos Estados Unidos e tivemos a ideia de reproduzir isso prevendo o crescimento do esporte no Brasil. Então a arena é como se fosse um octógono de vidro – explicou Gabriel ao Uol.

Diferentemente do futmesa tradicional, a arena de Gabriel é fechada para haver a possibilidade de usar as paredes como recurso e se movimentar ao redor da mesa de fibra de vidro posicionada no centro. Só não pode deixar a bola cair no chão, que é ponto do adversário. Primeiramente, o ex-tricolor pensa em expandir o conceito, considerado por ele inédito a nível mundial. Depois, quer comercializar mesas, alugar espaço e espalhar filiais. Por fim, chegar à Copa do Mundo.

— É meu projeto maior. Tenho conversado com amigos e patrocinadores para montar uma arena dessas na Copa do Mundo do Qatar, em 2022. O projeto está começando devagarinho, passo a passo, mas eu sonho grande. Se é um esporte que tende a crescer o céu é o limite – revela.

Gabriel se aposentou dos gramados em 2017. Ele teve duas passagens pelo Fluminense. Uma em 2005 e a outra entre 2007 e 2008. Foi campeão carioca na primeira e vice da Copa do Brasil. Na segunda, ficou também com o vice-campeonato na Libertadores. No total, disputou 110 jogos e marcou 28 gols pelo Tricolor das Laranjeiras.