Liga não tem como intenção ruptura com a CBF (Foto: Divulgação/CBF)

Nos últimos dias, foi anunciado que a Paramount+ vai transmitir os 380 jogos do Campeonato Brasileiro nos Estados Unidos com exclusividade até 2023. Tal acordo é resultado da união dos clubes e da venda coletiva dos direitos da competição nacional para o exterior e significa entrada extra de dinheiro, além de ser oportunidade para expansão da marca.

Em agosto passado, os clubes fecharam acordo com a Global Sports Rights Management (GRSM) para a venda dos direitos do Brasileiro para outros países. Ficou previsto que todos receberiam R$ 2 milhões como cota inicial e que o valor cresceria a cada acordo fechado pela produtora.

O entendimento dos clubes é que esse arranjo permitirá novas oportunidades de negócios e reconhecimento internacional, além da produção de conteúdo diversificado com a possibilidade de marcas estrangeiras se sentirem atraídas a investir no país.

Fora a transmissão, o acordo prevê que o Brasileirão passa a fazer parte do noticiário na televisão, na internet e no aplicativo da rede CBS. Esse crescimento que representa novas oportunidades também vai exigir mudanças nos planejamentos dos clubes.

Atualmente, a Paramount + já apresenta mais de 1.400 jogos ao vivo anualmente em todo o território americano, com direitos de competições de clubes da UEFA NWSL (liga de futebol feminino nos EUA), competições de seleções nacionais da Concacaf (Eliminatórias para a Copa do Mundo Masculina, Eliminatórias para a Copa do Mundo Feminina, Liga das Nações Unidas e Liga das Nações Femininas), além da Série A da Itália, do Campeonato Argentino e, agora, do Brasileirão. Os jogos não poderão ser acessados pelo serviço de streaming no Brasil.