2Ao aprovar as contas de 2013, o presidente do Conselho Deliberativo do Fluminense, Marcos Vinícius Ferreira Bittencourt, afirmou que o clube passa por recuperação financeira “relevante”. O déficit foi de R$ 3,3 milhões, 10,98% menor em relação ao ano anterior. Dos 100 presentes na reunião da última terça-feira, apenas 13 foram contrários ao balanço.

– A recuperação é relevante. Os salários estão em dia assim como o pagamento de impostos. O déficit cai a cada ano e deve ser zerado em breve. Tudo isto ocorre apesar dos bloqueios de receitas e sem adiantamento nas cotas de TV – diz Marcus Vinícius.

Tudo começou em 2010, primeiro ano de Peter. Na época, o prejuízo era de R$ 43 milhões, resultado do não recolhimento de impostos. Segundo o clube, o valor caiu para R$ 3,7 milhões em dois anos. Mas as penhoras, feitas pela Receita Federal, ainda estão em curso. Elas atingem parte das cotas de TV e de cerca de R$ 14,7 milhões da venda o atacante Wellington Nem para a Ucrânia, em 2013.


Neste período, o Flu atrasou direitos de imagem de Fred, Diguinho, Jean e Leandro Euzébio. A remuneração não foi quitada por 13 meses, mas já houve acerto com as partes e ela vem sendo regularizada.


Sem comentários