Fluminense e Flamengo assinaram nesta sexta-feira o acordo pela concessão da gestão do Maracanã pelos próximos seis meses – com a possibilidade de prorrogação por mais 180 dias. Em cerimônia realizada no Salão Nobre do Palácio da Guanabara, Rodolfo Landim, presidente do Rubro-Negro, e Pedro Abad, presidente do Tricolor, estiveram ao lado de Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro para oficializarem a parceria.

O acordo, entretanto, foi feito apenas no nome do Flamengo, com o Fluminense como interveniente. O Tricolor não possui Certidões Negativas de Débito (CND) e por isso não pode assinar contrato com o poder público. Porém, o Flu também será permissionário, com igualdade de condições. A proposta foi apresentada de forma conjunta na semana passada.

Pelo acordo, Flamengo e Fluminense vão arcar com os custos fixos do Maracanã, cerca de R$ 2 milhões por mês, além do pagamento mensal de R$ 166.666,67 ao Governo – valor que será repassado ao complexo Célio de Barros e Júlio Delamare. Os clubes também terão direito a explorar o Tour Maracanã diante do seguinte acordo: repasse de 10% do faturamento mensal ou um mínimo de R$ 64 mil.