(Foto: Mailson Santana - FFC)

O time adulto de vôlei do Fluminense aposta no uso da tecnologia para alcançar seus objetivos na temporada 2021/2022. Tobias Fares, responsável pela análise de desempenho da equipe tricolor, tem ajudado o técnico Guilherme Schmitz a traçar estratégias com equipamentos de ponta e utilizados pelos maiores clubes do país.

Um desses recursos implementados por Tobias é um radar que mede a velocidade da bola. Por meio desse aparelho, a comissão técnica consegue mensurar a velocidade do saque e auxiliar na estratégia para direcioná-lo, extraindo o melhor de cada atleta.

– Primeiro identificamos o padrão de saque delas. Por exemplo: quem é a atleta de mais força para fazer um saque forçado ou quem tem o saque mais tático. Depois, identificamos o percentual da velocidade do saque de cada uma. Quanto é 90% da velocidade, 80%, 70%, e assim por diante, porque muitas vezes percebemos que um saque a 80%, 90% já apresenta uma agressividade na linha de recepção adversária similar a um saque 100%, porém, com menor margem de erro. Assim, aumentamos a eficiência das nossas sacadoras. E durante o jogo, além do nosso saque, também medimos o saque adversário para entender se estamos treinando na mesma intensidade dos times que jogam contra a gente – explicou o analista de desempenho tricolor, acrescendo em seguida:

– Entendemos que visualizar o movimento facilita a identificação do erro e do acerto. A atleta executa o movimento e, em seguida, já vê o que fez. Com o vídeo também conseguimos identificar movimentos técnicos, ver se o braço entrou corretamente, se a atleta partiu com a perna certa. Com o telão ao lado da quadra, vemos tudo isso e corrigimos na mesma hora, não precisamos assistir ao vídeo depois e corrigir somente no próximo treinamento – finalizou.