Peter alegou não ter tido tempo suficiente para formular sua defesa (Foto: Divulgação - FFC)

Desde que Richarlison foi vendido ao Everton (ING) em julho, o Fluminense buscou informações do negócio feito pelo Watford (ING) para receber os 10% do lucro obtido pelo time inglês a que tinha direito. E, ao que tudo indica, parte do dinheiro já tem um destino certo. Há um acordo encaminhado para usar a verba na quitação da dívida do Tricolor com a Udinese (ITA) referente à negociação do meia Marquinho, em 2016.

Em negócio feito na gestão Peter Siemsen, o atleta custou 1 milhão de euros (R$ 4,6 milhões, na cotação atual) aos cofres do clube. Depois de alguma resistência, o Flu conseguiu convencer o Watford (ING) a abater o que deve ao time italiano.O entendimento entre as partes é fundamental para evitar que a Fifa aplique punição ao Flu. Afinal, sem receber o que tinha direito, a Udinese denunciou o caso à entidade.

Segundo apuração do Portal Globoesporte, o Everton (ING) pagou 45 milhões de libras (50 milhões de euros) para contratar Richarlison. Como desembolsou 12,5 milhões de euros pelo jogador, o Watford (ING) lucrou 37,5 milhões de euros. E é exatamente desse valor que o Tricolor terá direito a 10%: 3,75 milhões de euros (cerca de R$ 17 milhões).

Depois de oficializar este acerto, o Fluminense espera receber o restante do dinheiro, que ainda não tem data prevista para sair. A entrada de recursos é fundamental para amenizar a crise financeira que assola o clube. Nesta segunda-feira, o clube chega a dois meses de CLT com os funcionários e dois meses de CLT e três de direitos de imagem com os jogadores atrasados.