Sábado de muito calor e público extremamente pequeno no Maracanã para o primeiro clássico estadual do ano no Rio de Janeiro. Em busca do triunfo no Carioca, Fluminense e Botafogo entraram em campo com elencos modestíssimos e apresentaram um futebol aquém da história do confronto. Apesar disto, o Tricolor compensou com a vontade, mas pecou nas definições das jogadas, o que contribuiu para o 0 a 0. Com isso, equipe de Abel segue sem vencer na temporada.

Sem nenhum atleta capaz de desequilibrar a partida individualmente em ambos os lados, Fluminense e Botafogo fizeram uma partida equilibrado, buscando o ataque no início da partida. O Botafogo tentava atrapalhar a saída de bola do Tricolor, mas pecava quando tinha a redondinha nos pés, faltando caprichar, sobretudo, no último passe.

Só aos 18 de bola rolando que veio o primeiro susto: Brenner dominou no peito, adiantou para Luiz Fernando, que cortou para fora e cruzou. João Paulo entrou rápido na área e cabeceou com muito perigo. Naquele momento, o Botafogo era melhor, chegando com toque de bola e ocupando o campo de defesa do Fluminense, em busca do gol. Em contrapartida, os comandados de Abel só conseguiram dar o troco após lateral para área aos 26 minutos. Depois de cabeceio de Gum, Jefferson espalma e no rebote Pedro tenta o gol de calcanhar! Bola vai para escanteio. Jogadores do Flu pediram pênalti, alegando toque de mão de Marcelo.

Faltando um minuto para o fim da etapa inicial, Renato Chaves escorou bonito e Pedro acabou se enrolando um pouco e chutou esquisito, perdendo boa chance. No segundo tempo, um Fluminense igual em nomes, mas diferente na postura. Atuando bem melhor do que o Botafogo, a equipe chegava bem mais vezes ao ataque. Logo aos 6 minutos, Jefferson praticou um milagre depois de cabeceio de Gilberto para o chão.

Um minuto depois, Ibanez abriu o placar, em posição legal. O jovem caiu no chão, emocionado, cumprimentado por todos os jogadores. Mas o assistente fez questão de quebrar a alegria. Informando ao árbitro, após o gol, que teria acontecido falta num lance de Renato Chaves com um zagueiro do Bota, a jogada foi anulada. Minutos depois, no meio de campo, um princípio de confusão: Marcos Jr. deu uma entrada por trás em Matheus Fernandes. O atleta não gostou, empurrou o jogador do Flu, que caiu e o árbitro desferiu amarelo para ambos.

O Tricolor seguiu tomando as rédeas do confronto, mas faltava alguém que resolvesse a parada. Leniente, Pedro perdia lances importantes e Marcos Jr. era mais coração do que cabeça. Sornoza, lobo solitário na armação, não chamava a responsabilidade pra si, embora não estivesse fazendo um jogo ruim. A pressão tricolor seguiu até o final, mas sem alguém que pudesse concluir com primazia. Abel tentou Robinho e Matheus Alessandro nos minutos derradeiros, mas o jogo ficou como começou: 0 a 0. Flu segue buscando sua primeira vitória no ano.