Flu estuda processar a Unimed; Valor pedido seria de R$ 45 milhões

Flu estuda processar a Unimed; Valor pedido seria de R$ 45 milhões

1O Fluminense responderá ao processo que a Unimed move contra o clube na Justiça pela venda de cinco jogadores.  A empresa de saúde solicita o pagamento de R$ 21 milhões. O Tricolor pedirá mais do que o dobro que a empresa de saúde cobra, aproximadamente R$ 45 milhões.

O departamento jurídico do Flu entende que, com a necessidade de assumir os vencimentos de atletas até então pagos pelo antigo parceiro, o clube foi prejudicado.  Quem informa é do site Globoesporte.com.

São três os processos na 24ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Neles, a Unimed Participações e Investimentos SA (empresa criada para investir em jogadores) entende ter direito de receber percentuais pela negociação de Rafael Sobis, Wagner, Thiago Neves e Digão. Os atletas, antes das vendas, foram comprados com dinheiro da Unimed, que ficou com partes dos direitos deles. Wellington Silva, único que ainda permanece no clube, entra na lista pois renovou contrato na semana passada – foi adquirido em 2013 do Resende e do Flamengo. Na mesma lógica.

– Ainda não fomos citados na ação judicial. Na verdade, havíamos sido notificados extrajudicialmente por eles anteriormente, com uma cobrança absurda de R$ 90 milhões. Agora, pela entrevista do doutor Celso, parece que a cobrança será de R$ 21 milhões. Entendemos do lado de cá que, pela forma como a Unimed saiu no final de 2014, houve enormes prejuízos ao Fluminense. Não vamos ficar debatendo isso pela imprensa por não ser o foro adequado e por trazer transtornos ao clube no início de temporada. Iremos à Justiça cobrar estes prejuízos causados – comenta Mario Bittencourt, vice de futebol e advogado do clube.

Depois que a Unimed encerrou a parceria, o Flu teve de negociar com Fred, Wagner, Jean, Cícero, Diego Cavalieri e Gum. Todos tiveram atrasos no pagamento de direitos de imagem, feitos pela empresa. Permaneceram, após negociação com o clube, que manteve os valores. É aí que entra o entendimento do prejuízo: à exceção do goleiro e do zagueiro, todos tinham contrato em vigor. Com término além do encerramento da parceria. O custo com eles será de aproximadamente R$ 45 milhões.


Sem comentários