(Foto: Lucas Merçon - FFC)

Dinheiro improvável que escorre dos cofres tricolores. Com uma história marcada por lesões e falta de oportunidades, o goleiro Guillermo De Amores teve seu contrato renovado por mais seis meses, mesmo sem nunca ter jogado e, segundo o site Globo Esporte, não está nos planos para ser utilizado. O atleta ganha R$ 110 mil mensais, conforme apuração do NETFLU. Ao longo de todo o período, juntando com os US$ 200 mil (R$ 746 mil na cotação atual) que o Tricolor pagou pelo empréstimo em 2018, o clube desembolsará R$ 2,725 milhões, quantia superior para adquirir Everaldo, titular do ataque, em definitivo.

O atacante está emprestado pelo Velo Clube, time do interior de São Paulo, até 17 de maio de 2019. No acordo, 50% dos direitos dele foram fixados em R$ 2 milhões. Desse valor, 10% é reservado ao São Bento, que o liberou para o time carioca em julho passado. Interessado no atleta, o Cruzeiro tenta comprá-lo e pode ceder alguns jogadores ao Flu, já que o clube não possui condições financeiras, por ora, para exercer a prioridade de compra de Everaldo.

A renovação de De Amores ocorreu porque o Fluminense não poderia devolver o atleta machucado ao Boston River (URU). Trazido pelo presidente Pedro Abad e o vice de futebol Fabiano Camargo, além da participação de Marcelo Teixeira, no início de 2018, o arqueiro recebe um salário considerado alto nas Laranjeiras para a posição.

NETFLU apurou que o arqueiro tinha até o dia 31 de janeiro para renovar. Entretanto, ele não estava liberado para ser devolvido ao clube de origem. O Flu pagou US$ 200 mil no primeiro ano e demorou a ter entendimento com o Boston River para estender o vínculo sem custos. Agora com tudo definido, o contrato deve ser registrado no BID ainda esta semana. A expectativa é que o atleta não atue e apenas utilize este período para se recuperar. A assessoria do Fluminense confirmou ao site número um da torcida tricolor que o acerto estava em ajustes finais e que o vínculo será registrado nessa semana.

Contratado no início da temporada passada, Guillermo De Amores nunca gozou da confiança do técnico Abel Braga, que antes mesmo de ser contratado, já deixava claro que não tinha intenção de usá-lo como titular, assim como Marcelo Oliveira.

Após a polêmica dispensa de oito jogadores no final de 2017, tendo como um dos principais argumentos o corte de gastos, o torcedor do Fluminense fez campanha nas redes sociais. O objetivo dos fãs do Tricolor das Laranjeiras, desconfiados de Júlio César, era que a diretoria se mexesse para contratar De Amores, dono de boas atuações justamente contra o Flu, na temporada passada, em duelos válidos pela Sul-Americana. Foi criado nas redes #DeAmoresnoFlu e a agremiação, quando anunciou a contratação, lembrou da campanha e reforçou: “Vocês queriam, ele veio”.

Ao longo de 2018, porém, além do bom momento vivido por Júlio, Rodolfo chegou por indicação do então diretor esportivo de futebol, Paulo Autuori. Sendo assim, De Amores virou terceira opção de suplente para a posição. Às vezes, quarta. Para piorar, as lesões surgiram aos montes. No final de fevereiro da temporada passada, o goleiro sofreu um estiramento grau um na panturrilha direita. Em março, quando reiniciava os treinos com bola, voltou a se machucar: lesão muscular na panturrilha direita, ficando sob os cuidados do departamento médico. Dali em diante, praticamente não teve o seu nome repercutido na imprensa, quando só voltou a figurar depois de duas novas lesões, das quais ainda não se recuperou.