O Fluminense está nas quartas de final da Copa Libertadores. Com uma atuação segura e o regulamento debaixo do braço, o Tricolor despachou o Cerro Porteño (PAR) com vitória de 1 a 0. Fred, de pênalti, fez o gol ainda no primeiro tempo.

Em enorme vantagem pelo triunfo na ida (2 a 0), o Fluminense entrou em campo para controlar o duelo. Tocava a bola na boa e esperava espaços para avançar. Quando Fred recebeu na área, tentou o balão e Carrascal meteu o mãozão na pelota, tudo ficou mais fácil. Pênalti corretamente marcado pela arbitragem e o capitão na cobrança. O camisa 9 deslocou o goleiro brasileiro Jean e ampliou a tranquilidade tricolor no duelo.

O Flu tocava muito de lado e procurava chegar nos avanços dos laterais. O Cerro não mostrava grandes possibilidades de reagir. Até levaram perigo, faça-se a justiça, numa bela troca de passes que terminou com Boselli travado por Samuel Xavier na hora H.

Veio o segundo tempo e o Fluminense seguiu atuando de maneira tática. Sem forçar e só indo na boa. Samuel Xavier, em chute de fora da área, obrigou Jean a fazer boa defesa. A missão poderia ficar ainda mais tranquila não fosse uma pipocada absurda do árbitro colombiano Wilmar Roldán. Em contra-ataque, Luis Patiño acertou cotovelada em Fred e ele deu amarelo. Foi chamado pelo VAR para rever a evidente agressão e não mudou a cor do cartão. Uma vergonha.

Os minutos finais reservaram poucas emoções. O Cerro entendeu que não dava e o Fluminense que não corria riscos. O maior perigo era a violência dos paraguaios, que seguiram batendo bem e sem serem devidamente punidos pelo soprador de apito. Roger Machado, então, tratou de cuidar da segurança de seus atletas. Fez todas as trocas e a equipe conduziu sem sustos a classificação.

Na próxima fase, o Tricolor terá pela frente o Barcelona de Guayaquil, do Equador.

O Fluminense jogou com: Marcos Felipe, Samuel Xavier, Manoel, Luccas Claro e Egídio; Martinelli (André, 34′ do 2ºT), Yago e Nenê (Ganso, 34′ do 2°T); Luiz Henrique (Kayky, 23′ do 2ºT), Gabriel Teixeira (Lucca, 26′ do 2°T) e Fred (Abel Hernández, 34′ do 2ºT).