Em 12 de outubro, o NETFLU trouxe detalhes, em primeira mão, da possibilidade de um acerto entre o Prezunic e o Fluminense até o fim da temporada. A ideia é era que a empresa ocupasse o espaço mais nobre do uniforme tricolor já no primeiro duelo contra o Flamengo, pela Copa Sul-Americana. O negócio, porém, estacionou devido a uma condição comercial.

Em contato com pessoas que tiveram acesso à negociação, o site número 1 da torcida tricolor descobriu que o assunto Cencosud Prezunic não está encerrado, mas nada deverá acontecer para este ano. Os valores praticamente acertados esbarraram em um pedido indigesto para aquele momento da rede de supermercados: além do peito, queriam também as mangas da camisa.

Mas o tanto que repercutiu o “anúncio” da parceria deixou os empresários entusiasmados. E sem gastarem um tostão. Se ocorrer um reforço nos valores é possível que a negociação seja retomada para o início do ano que vem, quando o contrato entre o Flu e a Universal Orlando Resort já terá sido expirado. Ele tem vigor apenas até o confronto com o Corinthians, em 15 de novembro próximo.

A negociação com o Prezunic vem desde a promoção feita para o jogo diante do Palmeiras, quando o Tricolor teve ali sua relação estreitada com a rede de supermercados. A ideia da parceria teve início com o novo vice-presidente comercial, Ronaldo Barcellos. A aproximação com o Fluminense foi facilitada porque a Cencosud S.A é cliente de uma das empresas do diretor. No Brasil, a empresa é uma das acionistas do Prezunic.