(Foto: Reprodução do Twitter)

Vendido pelo Fluminense para a Fioretina (ITA) em 2019, o atacante Pedro está envolvido em um imbróglio por um suposto caso de passaporte esportivo fraudulento pelo Bangu. A Polícia Civil do Rio investiga o caso e, se confirmada a fraude, o Tricolor pode receber mais pela negociação do atacante com o futebol italiano.

A questão é que o Bangu recebeu cerca de R$ 200 mil pelo mecanismo de solidariedade após a venda do atleta. No entanto, o próprio afirmou que nunca atuou pelas categorias de base do alvirrubro. O passaporte do jogador indica que ele atuou no Bangu por oito meses, de agosto de 2011 abril de 2013.

– Se comprovada a fraude, a possibilidade de o Fluminense buscar o ressarcimento dos valores que possivelmente deixou de receber, desde que diretamente em face do Bangu, e não do clube italiano, cujo agiu de boa-fé, em conformidade ao passaporte desportivo do atleta – afirmou Pedro Juncal, advogado especialista em direito desportivo.

Vale lembrar que Pedro foi vendido à Fiorentina pelo valor de R$ 58 milhões pelos 80% dos direitos econômicos do atacante que o Fluminense detinha. Somente nesta negociação, o Bangu recebeu aproximadamente R$ 200 mil através do mecanismo.