O Fluminense já rescindiu contrato com a Dryworld, informou o jornal O Dia. Além disso, o clube moverá um processo de mais de R$ 100 milhões na Justiça pelo valor total do contrato, quebra dele, danos materiais e morais.

Durante toda a temporada de 2016, o Fluminense teve problemas com fornecimento da empresa canadense. Suas categorias de base ainda jogam com uniformes da Adidas de 2015. Mesmo na Copa São Paulo de 2017, os juniores continuam usando Adidas.  Nos últimos seis meses o Tricolor não recebeu os valores referentes às parcelas de patrocínio.

Na ação, o jurídico do clube irá cobrar o valor de todo o contrato, que ultrapassa os R$ 50 milhões, a multa por quebra de contrato e mais um valor por perdas e danos. Nos cálculos dos dirigentes a ação deve ultrapassar R$ 100 milhões.

 A logomarca da Dryworld já foi até retirada do site oficial do Fluminense. Agora, os dirigentes tricolores entrarão com um processo contra a matriz da empresa, que tem sede no Canadá.  Atlético-MG e Goiás, outros patrocinados pela Dry, já rescindiram o contrato e assinaram com a Topper.