Na tarde deste domingo, o Fluminense foi ao Independência encarar o América-MG, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com mais uma atuação insossa e sem nenhuma inspiração, o Tricolor foi derrotado por 1 a 0 pelo time da casa, com mais uma falha gritante do zagueiro Manoel. Depois do gol contra marcado no revés para o Palmeiras, o defensor foi novamente protagonista com um erro decisivo. Foi a terceira derrota seguida do Flu no Brasileiro.

O jogo começou sonolento e pouco inspirado pelas duas equipes. Muito toque de bola, mas pouca jogada vertical e objetividade. A primeira real oportunidade saiu aos 7′, em uma escapada do Fluminense pelo lado esquerdo. Nenê lançou Egídio, que invadiu a área e bateu cruzado. O goleiro adversário bateu roupa e Fred quase aproveitou o rebote para inaugurar o marcador.

O time da casa respondeu somente aos 25′, com um cruzamento venenoso que quase surpreendeu Marcos Felipe e o encobriu. Já na reta final, chegou novamente em erro na saída de bola do Flu. O goleiro tricolor fez boa defesa e espalmou para escanteio. Embora tivesse mais a bola, os comandados de Roger Machado eram improdutivos. Mesmo com menos posse, o América finalizou mais, enquanto o Tricolor falhava no último passe.

Após um primeiro tempo fraco e insosso, a esperança era que a segunda etapa tivesse um pouco mais de emoção e qualidade técnica. No entanto, não foi o que se viu logo no começo. O Fluminense seguia com enormes dificuldades na criação e nas tomadas de decisão no último terço do campo. O time da casa também não assustava, o que encaminhava a partida para um 0 a 0 sem graça.

O que não estava nos planos era que Manoel fosse falhar de forma bisonha em jogada aparentemente morta dentro da área e ajeitar a bola para Ademir só tocar na saída de Marcos Felipe e abrir o placar: 1 a 0. Com o resultado, o Fluminense segue na segunda metade da tabela de classificação e vê o G6 cada vez mais longe. Na próxima rodada, o Tricolor visita o Internacional, no Beira-Rio.

O Time de Guerreiros entrou em campo com: Marcos Felipe; Samuel Xavier, Manoel, Luccas Claro e Egídio; Martinelli, Yago (Ganso 30’/2ºT) e Nenê (Cazares 18’/2ºT); Lucca (Matheus Martins 18’/2ºT), Kayky (John Kennedy 30’/2ºT) e Fred (Abel Hernández 30’/2ºT).