(Foto: Mailson Santana - FFC)

Na noite de sexta-feira, via Portal da Transparência, o Fluminense divulgou o balanço das contas referentes ao exercício de 2021. Pelo sexto ano consecutivo, o clube fechou em prejuízo. Ficou no vermelho em R$ 2.059.000,00. Em contrapartida, o Tricolor teve um superávit operacional do exercício de R$ 22.905.540,00 (antes de descontar as despesas com pagamentos de dívidas do passado).

A diretoria ainda reduziu o passivo que envolve a dívida total em cerca de R$ 28 milhões. Em 2020, estava em R$ 768.835.000,00. Agora, é de R$ 740.757.000,00 (redução de 3,6%).

No futebol, carro-chefe do clube, a receita bruta foi de R$ 320.192.000,00, sendo R$ 109.593.000,00 com venda de jogadores e mecanismo de solidariedade (aumento de 117% em relação aos R$ 50.333.000,00 de 2020) – como por exemplo a de Kayky ao Manchester City, da Inglaterra; a de Metinho para o Troyes, da França; além de direitos de Gerson, Pedro…


Porém, as receitas de bilheteria nos jogos e do programa de sócio futebol caíram de 2020 para 2021. Com os estádios reabertos ao público só na reta final do ano, a bilheteria foi de R$ 2.555.000,00 (mais de meio milhão a menos em relação aos R$ 3.205.000,00. E a arrecadação com sócios futebol reduziu quase R$ 2 milhões, de R$ 10.554.000,00 para R$ 8.762.000,00.

As contas tiveram supervisão do Conselho Fiscal e foram auditadas pela empresa “Mazars Auditores Independentes”, mas ainda precisarão ser aprovadas pelo Conselho Deliberativo.

Confira o documento com o resultado financeiro: