(Foto: Lucas Merçon/FFC)

Boa notícia. Além de Washington “Coração Valente”, o Fluminense fechou nos últimos dias de maio outros dois acordos na Justiça envolvendo antigas dívidas do clube: uma com o ex-zagueiro Cássio e outra com o técnico Marcelo Oliveira. O Tricolor irá pagar, no total, mais R$ 1 milhão de forma parcelada, até janeiro de 2023, e assim evita novas penhoras nos dois processos.

A dívida mais antiga é de Cássio, que defendeu o Fluminense entre 2009 e 2010, disputou 47 jogos e marcou um gol com a camisa tricolor. Seu processo corre na Justiça do Trabalho desde o fim de 2012, e em 2019 ele conseguiu um mandado de penhora diante do não pagamento do clube. Mas a diretoria procurou o ex-zagueiro, que jogou até 2016 pelo Lajaedense-RS, e costurou um acordo homologado na 79ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro.

O clube vai quitar o montante de R$ 420 mil em 15 parcelas fixas de R$ 28 mil. A primeira já foi paga no dia 30 de maio, e a última será em julho de 2022. Em caso de não cumprimento do acordo, as partes estipularam multa de 10% para atrasos de 30 dias; 20% até 90 dias, e de 50% em mais de três meses sem pagamento, além da antecipação do saldo devedor.

Já com Marcelo Oliveira, é o segundo pacto judicial que o Fluminense celebra. O técnico, que comandou o time em 33 partidas em 2018, processou o clube em 2019 cobrando R$ 1,1 milhão de verbas rescisórias (CLT e imagem), FGTS e honorários advocatícios. Após acordo, as partes reduziram o montante para R$ 700 mil e parcelaram a dívida, mas o clube só pagou as primeiras parcelas.

No último mês de março, o treinador chegou a bloquear R$ 124 mil nas contas do clube, que o procurou para assumir um novo compromisso para quitar o saldo devedor de R$ 582 mil. O Fluminense pagou uma primeira parcela de R$ 82 mil e dividiu o restante em 20 prestações de R$ 25 mil, começando no dia 30 de junho e terminando em janeiro de 2023, com 30% de multa por atrasos. O acordo foi homologado na 82ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro.