(Foto: Divulgação/FFC - Acervo Flu Memória)

Em seu site oficial, o Fluminense publicou um texto nesta sexta-feira em homenagem à Didi. Se estivesse vivo, o ex-atleta completaria 93 anos. O texto relembra um pouco da vida do ex-jogador, sua história no clube verde, branco e grená e suas conquistas. Confira, na íntegra:

“Nesta sexta-feira, 8, Waldir Pereira, também conhecido como Didi, grande figura da história do Fluminense Football Clube, completaria 93 anos. Nascido no estado do Rio de Janeiro, o ídolo tricolor atuou no clube de Laranjeiras como meia, de 1949 até 1956. Neste período, teve grande participação em importantes conquistas para o Fluminense, como o Campeonato Carioca de 1951 e o Mundial de 52 (Copa Rio).

Além de suas 298 partidas e 91 gols honrando o Tricolor, Didi teve a carreira marcada por diversas conquistas na história do futebol brasileiro e mundial. Defendendo a Seleção Brasileira em três Copas do Mundo, Waldir Pereira marcou sua trajetória como jogador sendo campeão de duas. Em 1958 e 1962, se tornando ainda, o melhor jogador da Copa do Mundo de 1958 segundo a FIFA.

O autor do primeiro gol no estádio Maracanã conquistou, além de campeonatos, prestígio internacional. Segundo a IFFHS (International Federation of Football History & Statistics) em 1999, Didi foi reconhecido como o sétimo maior jogador brasileiro do século XX e 19º do Mundo, ficando internacionalmente conhecido como Mr. Football.

Sua trajetória como jogador no Fluminense se encerra em 1956, porém, mais tarde, o ídolo retorna às Laranjeiras como um dos técnicos da histórica Máquina Tricolor, time bicampeão carioca de 1975 e 1976.

Waldir Pereira faleceu no dia 12 de maio de 2001 com 72 anos. De maneira histórica e honrosa, Didi é eternizado como um ídolo do Fluminense Football Club”.