Fluminense inicia debate com MP para discutir gratuidades

Fluminense inicia debate com MP para discutir gratuidades

Cadu Moura é o gerente de Arenas do Fluminense
Cadu Moura é o gerente de Arenas do Fluminense

A quantidade de não pagantes nos jogos dos clubes cariocas no Maracanã tem preocupado. Em oito jogos no estádio neste Campeonato Brasileiro, 236.756 pessoas estiveram presentes, sendo que 58.346, ou 24,6% do total, não pagaram a entrada. Por isso, o Fluminense iniciou um debate com o Ministério Público para discutir as gratuidades.

– Acreditamos que a lei das gratuidades deveria estabelecer mais critérios para os organizadores se planejarem. Além de incentivos para os clubes serem parceiros. E não concorrentes, como ocorre hoje, uma vez que custeamos esses acessos sem nenhuma contrapartida direta. Já iniciamos espontaneamente um debate com o MP-RJ para tentar um melhor cenário para todos os envolvidos nesta questão – disse o gerente de arenas, Carlos Eduardo Moura.

O Botafogo, através de seu diretor executivo, Sérgio Landau, também critica a lei:

– A gratuidade, além de não pagar, cria tumulto. Vou ao supermercado e não vejo ninguém com mais de 60 anos saindo com frango de graça. E no transporte, a gratuidade é paga pelo governo. Só no futebol que ninguém paga aos clubes – disse.