(Foto: Lucas Merçon/FFC)

O Fluminense é reconhecido por ter uma das melhores categorias de base do Brasil, e Xerém tem sido uma peça fundamental para ajudar a superar os problemas financeiros e fortalecer o clube. O caso mais recente é o de Daniel, que voltou de empréstimo ao Oeste-SP e será mais uma opção de Marcelo Oliveira para o meio-campo, que só tinha Sornoza no setor. O retorno faz parte do projeto “Plano de Carreira de Xerém”.

O programa empresta jovens atletas, que não estão sendo aproveitados no elenco principal, para outras equipes do Brasil ou do exterior para adquirir experiência e se valorizarem no mercado. Outros jogadores, além de Daniel, também fizeram parte do mesmo programa e voltaram para Laranjeiras, como Wellington Nem, Ayrton Lucas, Pablo Dyego, Marquinhos Calazans, Marcos Júnior e Gustavo Scarpa. O custo é avaliado em menos de R$ 1 milhão por ano.

Por outro lado, o Tricolor já arrecadou mais de R$ 8 milhões com atletas que foram vendidos enquanto estavam emprestados, como os casos de Biro Biro, Samuel e Ailton. Atualmente, o Tricolor possui mais 14 jogadores emprestados, são eles: Wellington Silva, Mascarenhas, Paulinho, Léo Pelé, João Vitor, Derlan, Eduardo, Fernandinho, Peu, Matheus Alves, William, Nogueira, Lucas Fernandes e Luiz Fernando.