(Imagem: Lucas Merçon/Fluminense FC)

Se de um lado o Fluminense busca oxigenação do fluxo de caixa através de acordos com atletas que processam o clube, novas ações seguem aparecendo do outro lado. O ex-zagueiro Henrique é a bola da vez. O clube tem até sexta para pagar mais de R$ 12,5 milhões ao atleta para evitar penhoras. Mas o jurídico segue trabalhado.

O portal NETFLU apurou que, além de não querer mais perder as suas joias de Xerém sem receber o valor que julga que valem, como nos casos Evanilson, Marcos Paulo e Miguel, o Tricolor ainda procura maneiras de evitar mais retenções financeiras por meio de execuções judiciais. Para tal, o tricolor reforçou a força-tarefa de advogados, reavaliando contratos, relações com empresários e dívidas.

O caso mais recente de sucesso aconteceu nesta quinta-feira, quando o clube consegui renegociar um débito com o meia Wagner, campeão brasileiro pelo Time de Guerreiros, que havia tomado “calote” após vencer a instituição verde, branca e grená na Justiça.