Fred ao lado de Barcelos, Wellington e Yago numa cobrança de falta (Foto: Lucas Merçon/FFC)

A partida de ontem entrou para a história do Madureira.

O escrete suburbano mediu forças com o poderoso Atlético Mineiro, em Minas Gerais e por pouco não saiu com uma classificação histórica ao quase eliminar um gigante de nosso futebol.

Não fosse o pênalti duvidoso marcado pela arbitragem caseira, no início do segundo tempo, os cariocas poderiam ter tido melhor sorte, apesar de terem finalizado apenas uma vez para o gol adversário.

A imprensa nacional repercutiu o feito do tricolor nas ondas do rádio e na televisão. O resumo do Jornal dos Sports deu o tom da cobertura: “Foi uma grande partida dos cariocas. Significativamente inferiores, venderam caro a derrota, mas acabaram eliminados com dois resultados adversos”

O zagueiro Lucas Barcelos, na saída de campo, também engrossou o coro dos contentes: “Fizemos uma grande partida. Muita luta, muita aplicação. Infelizmente não deu, mas estamos no caminho certo”.

A equipe voltou ao Rio de Janeiro na manhã desta quinta-feira, já pensando em seu próximo compromisso, na semana que vem.

Elias Bittencourt, o Presidente do clube, anunciou para amanhã uma coletiva, onde espera-se a prestação de contas pelo trabalho desenvolvido na temporada. A expectativa é de que as classificações para fases intermediárias das competições disputadas sejam enaltecidas, bem como sublinhadas as dificuldades orçamentárias que assolam o clube há alguns anos.

Entre a torcida o ambiente é de tranquilidade, apesar dos dez anos sem conquistas expressivas, quase um recorde na história do clube. Setoristas mais próximos à diretoria, ouvidos por nossa reportagem, relatam que a política de contratações e dispensas tem agradado ao torcedor. Os pontos de revolta são isolados e em Madureira aguarda-se a retomada do campeonato suburbano, que classifica para o Carioca do ano que vem.

Rio de Janeiro, 15 de setembro de 1943.