Flusócio define perfil de candidato e encerra especulações

Flusócio define perfil de candidato e encerra especulações

flusocio2Em seu último post no blog, a Flusócio, principal grupo político de sustentação à gestão Peter Siemsen, definiu o perfil do candidato que a apoiará nas próximas eleições à presidência do Fluminense, no fim de 2016. Afirma não ter nenhum nome em mente, a fim de terminar com especulações. Confira na íntegra:

 

Se queres saber o candidato da Flusócio…

 

A Flusócio tem evitado falar em política enquanto o Fluminense disputa um campeonato brasileiro delicado e de transição. Entretanto, considerando que a briga política no clube já começa a se acirrar, percebemos essa pausa de 10 dias no futebol como um momento propício para abordarmos o assunto.

 

A Flusócio é percebida como sendo o principal grupo da chapa vencedora em 2010 e 2013, de modo que na inexistência de um candidato já declarado da Situação é natural que as baterias dos opositores se voltem contra o grupo. Há sempre quem diga que a Flusócio “manda” nisso ou naquilo ou que fulano ou beltrano é “o candidato da Flusócio”. Como acontece na política, a Flusócio também tem que lidar com verdades, mitos e mentiras.

 

Desde a sua gênese, há mais de 12 anos, a Flusócio não se trata de um grupo de amigos. Tampouco é um grupo com interesses pessoais no clube. O que une o grupo é a convergência de ideias acerca do que é prioritário para que o Fluminense enfrente os difíceis desafios que terá pela frente para se manter como potência do futebol nacional. Assim, primariamente, não apoiamos pessoas, mas sim agendas.

 

Foi assim com Peter Siemsen nas 3 eleições em que o grupo o apoiou. Nos mandatos de Horcades, a irresponsabilidade financeira e o descontrole da dívida eram as questões cruciais que tiravam o sono de todos os tricolores preocupados com o futuro do clube. Foi nessa linha que Peter Siemsen apareceu como nome que mereceu o apoio e a confiança do grupo. Não o apoiamos por amizade ou por barganha, mas pela clareza com que Peter Siemsen enxergava a gravidade da situação financeira do clube e pela confiança que inspirava no sentido de que a questão seria tratada com a atenção que merecia. Também nos uniu o compromisso em implementar o Sócio Futebol com direito a voto, garantindo nova fonte expressiva de receitas e ao mesmo tempo consolidando o torcedor como participante ativo das decisões sobre os destinos da instituição.

 

Novamente assim será em 2016, escolheremos quem estiver alinhado conosco e nos inspire confiança, sem que importem relações pessoais ou barganhas. Então, para os “profetas”, vai uma dica inspirada no nosso verdadeiro Profeta:

 

Se quereis saber o candidato da Flusócio para 2016, olhai para o que o grupo considera prioritário para o clube no próximo triênio!

 

Entre erros e acertos, há uma coisa que não se pode negar sobre a gestão Peter Siemsen: as questões da equalização da dívida e do controle financeiro foram tratadas com a responsabilidade que merecem, de forma que nosso horizonte atual é muito mais claro do que o cenário terrível encontrado em 2011.

 

O próximo presidente terá um cenário também dificílimo, mas previsível e contando com um fluxo de caixa mais ajeitado. Diferente do que a gestão do Peter enfrentou, será possível planejar e pensar o clube sem se deparar rotineiramente com “bombas relógio” ou “esqueletos”, usualmente de natureza fiscal ou trabalhista.

 

Porém, todo o esforço pode ser colocado a perder se uma nova gestão não possuir compromisso com as finanças do clube e com a capacidade de honrar os compromissos assumidos – dois dentre os pilares centrais da nossa escolha. Um candidato que não comungue dessa preocupação e não demonstre ser responsável com as finanças do clube jamais terá o apoio da Flusócio.

 

Além da questão financeira, mas não independente dela, alguns projetos estratégicos fundamentais tiveram avanços significativos na gestão Peter Siemsen, notadamente a construção do CT e o desenvolvimento de Xerém, consolidando o Fluminense como uma referência em trabalho de base no futebol.

 

São projetos fundamentais e capazes de manter o Fluminense como potência do futebol nacional, mesmo no cenário de desequilíbrio de cotas de TV que se desenha para os próximos anos. O candidato da Flusócio deverá ser alguém que demonstre estar comprometido com a continuidade desses projetos.

 

Assim, finanças, CT e Xerém serão, certamente, os pilares centrais da nossa escolha eleitoral. Por favor, notem que isso não significa indiferença com o desempenho do Fluminense dentro de campo, o futebol sempre será a maior de todas as prioridades. O ponto é que não desconectamos a performance desportiva das finanças (obrigações em dia), do CT (infraestrutura) e de Xerém (formação de elenco e reforço comercial).

 

O candidato da Flusócio ainda não está escolhido. E não há pressa. O grupo analisará criteriosamente as opções possíveis e tomará a sua decisão de forma democrática e responsável com o futuro do Fluminense, no momento em que estiver seguro de ter encontrado o melhor nome para implementar nossa agenda. E, quando a decisão estiver tomada certamente será tornada pública. Até lá, qualquer coisa que for falada sobre “candidato da Flusócio” é especulação ou mentira.


Sem comentários