(Foto: Divulgação/FFC)

O Fluminense vive um momento bastante delicado de sua história. Diante de uma grave crise financeira, o clube deve inúmeros funcionários, jogadores e agentes, abarrotado de processos judiciais. Responsável pela limpeza e manutenção do clube, a Sanatto, por exemplo, não recebe há cinco meses e seus funcionários entraram em greve.

Na última sexta, o clube enviou um comunicado aos sócios admitindo a situação, mas sem dar prazo para a resolução da mesma, dizendo que contava com o apoio de outros funcionários para os serviços. Em contrapartida, os trabalhadores da Sanatto não acenam com possibilidade de volta enquanto não houver um acerto financeiro.

O NETFLU apurou ainda que muitos destes funcionários têm sofrido até para pagar passagens e pensão alimentícia, correndo o risco de serem presos. Enquanto a situação segue indefinida, a sede tricolor está entregue ao acaso.