(Foto: Divulgação/FFC)

Depois de voltarem a fazer rodízio por conta da falta de pagamento de 13°, férias e salários de dezembro e janeiro, funcionários do Fluminense cogitam uma greve geral dentro do clube. O estopim foi o fato de a diretoria ter pago uma premiação para os jogadores em detrimento, segundo os próprios funcionários, dos débitos com os trabalhadores das Laranjeiras.

Principais afetados pelos atrasos, os funcionários de baixa renda cogitam fazer uma paralisação total dos serviços nas Laranjeiras. A ideia voltou à tona através de um grupo que vem se reunindo para abordar o tema. Responsável pela limpeza e manutenção do clube, a Sanatto, por exemplo, segue tendo muitos problemas de repasse de verbas do Fluminense.

O NETFLU já havia apurado no ano passado que muitos destes funcionários têm sofrido até para pagar passagens e pensão alimentícia, correndo o risco de serem presos. Enquanto a situação segue indefinida, a sede tricolor está entregue ao acaso.