“Maior da América do Sul”, Cavani fala pela primeira vez como jogador do Boca Juniors

Atacante uruguaio exalta clube argentino e diz que queria estar mais próximo de casa após 16 anos na Europa: "Não foi por questões físicas ou esportivas, mas sim sentimentais"
Pinterest LinkedIn Tumblr

Novo reforço do Boca Juniors, o atacante Edinson Cavani falou pela primeira vez como jogador da equipe. O uruguaio de 36 anos afirmou estar motivado para defender o “maior clube da América do Sul”. Ele também citou o desejo de estar mais próximo de casa como um motivo para ter aceitado a proposta do clube argentino.

– Estou feliz por muitos motivos. Estou feliz por chegar a um clube como esse, por me aproximar de casa depois de muitos anos fora. O Boca é o maior da América do Sul. Chegar a um clube como esse sempre te motiva. Sempre havia algum contato e uma possibilidade de voltar. Graças também a (Juan) Román (Riquelme, vice-presidente do Boca e ídolo do clube) que esteve presente em várias oportunidades. Chegou um momento em que muitas coisas se alinharam de uma vez – disse Cavani, que será apresentado pelo Boca Juniors na Bombonera na noite desta segunda.

O jogador tinha contrato com o Valencia por mais uma temporada, até o meio do ano que vem, mas pediu para deixar o clube espanhol pela pouca perspectiva de espaço na equipe titular, segundo a imprensa espanhola. Após rescisão do contrato, assinou contrato com o Boca Juniors até o fim de 2024, sendo o principal reforço dos xeneizes para a sequência da Libertadores.

Cavani foi revelado pelo Danubio, do Uruguai, onde atuou apenas uma temporada como profissional, rumando para o Palermo em 2007, quando tinha apenas 20 anos. Na Itália, o centroavante explodiu para o mundo, principalmente depois de rumar para o Napoli. De lá, o uruguaio foi para o PSG, onde permaneceu por sete temporadas, sendo ídolo da torcida local. Ainda jogou duas temporadas no United e mais uma no Valencia.

Autor