Uma revolução tricolor ao alcance daqueles que querem ver um Fluminense diferente. Pelo menos isso é o que busca o Movimento Cidadania Tricolor (MCT). Se o objetivo do torcedor sempre foi participar efetivamente dos debates sobre o Flu e nunca teve a oportunidade, o MCT abriu esta porta nesta noite, em encontro num auditória em frente à Praia do Flamengo, Zona Sul do Rio. Com 64 presentes, ideias sobre um futuro forte do clube tantas vezes campeão foram a tônica dos diálogos.

Sob o discurso “Cidadania tricolor gera Cidadão Tricolor”, as mudanças de rumo do clube verde, branco e grená são pauta em destaque, para acabar com o que chamam de “velha política”. O MCT também ressalta o propósito por uma “atitude transformadora”, para recolocar o Fluminense no topo do futebol nacional.
No “11 Propostas para um Fluminense Cidadão” estão previstas medidas como atuação social nos mais modernos modelos adotados, criação de calendário de ações sociais – com o grande valor da marca “Fluminense” em parceira com marcas e instituições, participação de atletas/torcedores e convite a tricolores ilustres, inserção do clube como agente social transformador de grande valor em níveis regional, nacional e internacional. Entre outros pontos, só para começar.

Confira as 11 propostas do movimento:
Vamos salvar o Flu!!! No item 1 estão previstas medidas como revisão do Estatuto, implantação do Conselho de Administração – Contratação de CEO e Executivos para gestão das Unidades de Negócio, implantação de Processo de Governança que possibilite a tomada de decisão colegiada. Isso, só para começar.No segundo item estão previstas medidas como renegociação dos passivos tributários e trabalhistas, renegociação com fornecedores, renegociação com os agentes dos jogadores. Isso, para dar o pontapé a um clube verdadeiramente organizado e saneado.No item 3 estão previstas medidas como modernização dos bares e restaurantes, revitalização do parque aquático, retomada de shows e eventos culturais. Porque a sede é a casa do sócio e deve ser cuidada com amor, carinho e ideias inteligentes.No item 4 estão previstas medidas como independência de gestão, apoio às escolinhas, busca de patrocínio para pelo menos três modalidades (o que permitirá competir para subir no pódio em nível nacional), construção de um novo ginásio. Um belo começo para um futuro grandioso do esporte olímpico do Flu.No item 5 estão previstas medidas como a viabilização de arena para 15 mil espectadores (jogos de menor porte) – uma adequação necessária e possível de realizar com competência e profissionalismo. É um patrimônio do clube, e deve ser usado da melhor forma. No item 6, estão previstas medidas como investimento na estrutura física, incremento na captação de novos valores, maior transparência nos direitos federativos, gestão na fase de profissionalização (sendo o time principal o canal preferencial para aproveitamento), reavaliação dos projetos existentes. Uma mudança mais que necessária!No sétimo item, estão previstas medidas como gestão de marca realmente moderna, uso intensivo da internet no relacionamento com os torcedores, streaming dos jogos (futebol e olímpico) fora do circuito comercial tradicional. Um mergulho na modernização do esporte.No oitavo item, estão previstas medidas como: apresentar estudo para a criação de Fluminense SA, conquista de patrocínio máster, busca de parceiros para utilização das dependências do clube nas Laranjeiras. Ideias para alavancar o Flu e sair dessa crise provocada pela irresponsabilidade e incompetência.O item 9 traz medidas como otimização do uso dos ativos (Laranjeiras, Xerém e CT), conclusão do Centro de Treinamento, estabelecimento de política salarial para os funcionários, reavaliação dos serviços terceirizados, uso intensivo das tecnologias de informação na gestão e no contato com sócios e torcedores. Um salto de inteligência diante do descalabro que vivemos.No décimo item, estão previstas medidas como contratação de Comissão Técnica reconhecida, implantação de sistemas regulares de avaliação, modernização do sistema de gestão do futebol, contratação de uma “espinha dorsal” para o time profissional – com jogadores de reconhecida qualidade e perfil do clube, ampla utilização das divisões de base na formação do elenco. Porque não pode ser menos que isso!

No décimo primeiro item estão previstas medidas como: uma atuação social nos mais modernos modelos adotados no mundo, criação de calendário de ações sociais – com o grande valor da marca “Fluminense” – em parceira com marcas e instituições, participação de atletas/torcedores e convite a tricolores ilustres, inserção do clube como agente social transformador de grande valor em níveis regional, nacional e internacional. Um salto de cidadania, para tornar o clube ainda maior e estabelecer uma relação mais profunda com a sociedade.