O futebol brasileiro vem passando, aos poucos, por transformações no que diz respeito a sua estruturação. Entretanto, muitos clubes ainda são reféns das cotas de TV. Cenário este que, vagarosamente, vem mudando no Tricolor, desde que o plano sócio-futebol foi implementado. Arrecadando cerca de R$1 milhão mensais, o clube utiliza este valor para quitar parte de seus compromissos.

Empolgado ao comentar sobre os associados, o gerente de arenas do Tricolor, Carlos Eduardo Moura, destacou a importância do plano de sócios.


– O sócio do Fluminense, assim como todos os nossos torcedores, são hoje como fiéis de uma religião sem um templo. Pela nossa ambição, precisamos de um estádio fixo para fidelizar nossos fiéis tricolores e captar outros dentro de nossa grande torcida – disse o gerente de arenas Carlos Eduardo Moura.