Grupo que apoia Peter pede saída de “laranjas podres” do grupo

Grupo que apoia Peter pede saída de “laranjas podres” do grupo

laranjas

Grupo político apoiador de Peter Siemsen em suas duas eleições no Fluminense, o Flusocio publicou recentemente em seu blog um texto polêmico. Mesmo concordando com a demissão de Enderson Moreira, o Flusocio pede também o afastamento das “laranjas podres” do elenco.

Na publicação, o grupo, sem citar nomes, afirma ter no grupo jogadores não comprometidos com o Fluminense. Uma determinada passagem dá a entender que Antônio Carlos, por seu erro contra o Palmeiras, é um dos alvos.

Veja a postagem na íntegra e tire suas conclusões:
“Fora com as laranjas podres!

Hoje em dia, muito se fala sobre profissionalismo. Direitos geram deveres e necessidade de alto rendimento, mas é muito comum vermos os jogadores que entendem profissionalismo apenas como receber em dia e ser o escolhido como titular pelo Professor.

Enderson Moreira foi demitido. Sem dúvida isso era necessário. Mas ontem ficou bem claro que não é apenas isso. O time vinha bem ajustado em campo, dominando a partida até o penalti perdido por Fred, que é ídolo mas também falha. Depois disso, como num passe de mágica, tudo mudou.

Mas o time que estava em campo ontem era bastante cascudo. Como novatos tínhamos apenas Marcos Junior (nem tanto), Leo Pelé (que fez boa partida) e Marlon (outro que foi bem). Difícil acreditar em descontrole emocional. O que vimos foram atletas se escondendo no meio campo e três gols sendo entregues de bandeja ao adversário, com omissão dos mesmos jogadores em vários deles.

Trocar treinador que perdeu o comando é apenas o primeiro passo, mas detectar sacanagem contra a camisa do Fluminense tem que acontecer de forma simultânea, caso contrário, teremos outros treinadores sendo minados e provavelmente um rebaixamento.

Que se afaste as laranjas podres deste elenco, com os devidos cuidados judiciais e trabalhistas, e que já seja passada esta realidade ao novo treinador. Mil vezes melhor um jogador menos experiente e empenhado do que algumas “piranhas velhas” entregando o ouro em campo.

Como exemplo de laranja podre podemos citar jogador que usa torcedores para espalhar mensagens de véspera contra desafetos, mas fica parado para o ataque adversário concluir a jogada em gol sem ser incomodado, logo depois comete falha grotesca e fica parado longe da jogada, sem buscar ajudar seus companheiros a evitar o gol.

Receber salários na casa de seis dígitos e se comportar dessa maneira, ainda mais levando em conta o contexto social do país, é inacreditável. Neste caso, mais inacreditável ainda pela história passada que se tem no Clube.

Atrasos de direitos de imagem de fato existem, mas são pequenos e acontecem em quase todos os clubes, inclusive nos líderes do campeonato. E todos os atletas já sabem que a Frescatto só chegou ao Fluminense para bancar os direitos de imagem do atacante Fred, por ser um atleta de repercussão internacional e um ídolo do Clube. Se não fosse o Fred, não haveria Frescatto no Flu, por isso seus direitos de imagem são garantidos, simples assim! É informação de conhecimento público desde janeiro/2015.

Nós sabemos que o problema atual não é dinheiro mas sim a conduta de alguns jogadores que trabalham sem cerimônia para minar o trabalho de treinadores e também a liderança de outros atletas, de maior história, que tem questionado internamente a conduta inaceitável com a camisa do Fluminense.

Profissionalismo não é isso. E ser titular não está escrito em contrato algum, de atleta algum. Que o novo treinador seja orientado nesse sentido desde o início e tenha respaldo para afastar de imediato quem quer que seja. É tarefa primária do comando do futebol detectar as laranjas podres e afastá-las sumariamente, como ocorreu em 2009 e nas rodadas finais de 2013.

Chega de sacanagem com a camisa do Flu!”


Sem comentários