Gum fez gol importantíssimo para levar Fluminense à final da Sul-Americana em 2009 (Foto: Ricardo Ayres - Photocamera)

Jogos eliminatórios entre Fluminense e Cerro Porteño trazem, sem sombra de dúvidas, grandes lembranças aos tricolores. Entre eles, Gum também se enquadra nessa realidade. Afinal, na semifinal da Copa Sul-Americana de 2009, o zagueiro, atualmente no CRB, foi decisivo e recorda o quanto isso marcou sua carreira, criando enorme identificação com o clube das Laranjeiras.

— Aquele jogo foi muito importante porque marcou a minha carreira, tenho identificação até hoje. Por onde eu passei, o apelido continuou. Eu tinha chegado no Fluminense (em 2009) e jogado algumas partidas pelo Brasileiro, mas aquele jogo pela Sul-Americana foi marcante e gerou reconhecimento da torcida. Até com os meus amigos pessoais esse apelido pegou (risos). Marcou a minha carreira para sempre — conta o zagueiro.

Na semifinal de 2009, o Fluminense havia vencido fora de casa por 1 a 0, com gol de Fred. Na volta, no Maracanã, saiu perdendo. Gum quase foi substituído por ter levado uma cotovelada de Roberto Nanni e aberto o supercílio. O sangue demorou a ser estancado, mas o Guerreiro acabou ficando. Já no fim, empatou a partida. Nos descontos, ainda teve para Alan virar o duelo para 2 a 1.

Ao apito final, iniciou-se uma briga generalizada em campo.

Gum atuou pelo Flu de 2009 a 2018. Fez 414 jogos e 29 gols. Foi bicampeão brasileiro (2010 e 2012), campeão carioca (2012) e da Primeira Liga (2016).