A Conmebol definiu na última terça-feira os confrontos das oitavas de final da Libertadores. O Fluminense enfrentará Cerro Porteño, do Paraguai. O duelo fez com que os torcedores tricolores recordassem a partida contra os paraguaios em 2009, pela semifinal da Sul-Americana. O zagueiro Gum, que teve uma participação importante naquele jogo, relembrou alguns momentos daquela partida.

A equipe carioca venceu os jogos de ida e de volta, no entanto, uma briga generalizada marcou o fim daquela exibição. Na ocasião, Gum, que hoje defende o CRB, foi agredido pelo adversário e preferiu ficar em campo mesmo em condições desfavoráveis.

– Eu me lembro como se fosse hoje, foi algo muito forte. Sofri uma agressão do atacante Nani e estava sangrando muito meu supercílio. O Cuca ia me tirar do jogo porque estava com um a menos o Fluminense, e o doutor não estava conseguindo estancar o sangue. Eu vendo que ele ia me tirar do jogo falei: ‘Não professor, pelo amor de Deus, não me tira’. Acabei ficando e fui abençoado fazendo o gol –