Gum superou corte profundo no supercílio em 2009, ficou em campo e fez o gol que abriu o caminho para a classificação do Fluminense para a final da Sul-Americana (Foto: Ricardo Ayres - Photocamera)

Se em 2009 Gum superou um profundo corte no supercílio para seguir em campo e ajudar a garantir a classificação do Fluminense na semifinal da Sul-Americana diante do Cerro Porteño, o zagueiro, atualmente no CRB, torce para que a batalha daquele ano inspire os novos guerreiros tricolores. O defensor admite que gostaria também de ver um companheiro de zaga resolvendo o duelo.

— Ficaria feliz também se o jogo de 2009 inspirasse a equipe e se outros zagueiros pudessem contribuir com um gol durante o jogo ou até com o gol da classificação. Pode ser o Luccas Claro… Nino não vai jogar (foi para a Olimpíada), então, pode entrar o Manoel, o David Braz ou o Matheus Ferraz. Quem o Roger escolher para jogar ali acredito que vai entrar bem. Todos vão ser muito importantes. Os jogadores estão unidos, se doando e estou aqui na torcida para que o grupo possa buscar essa classificação contra o Cerro. Vão ser jogos muito difíceis, pode ter certeza disso – aposta.

Na semifinal de 2009, o Fluminense havia vencido fora de casa por 1 a 0, com gol de Fred. Na volta, no Maracanã, saiu perdendo. Gum quase foi substituído por ter levado uma cotovelada de Roberto Nanni e aberto o supercílio. O sangue demorou a ser estancado, mas o Guerreiro acabou ficando. Já no fim, empatou a partida. Nos descontos, ainda teve para Alan virar o duelo para 2 a 1.

Ao apito final, iniciou-se uma briga generalizada em campo.

Gum atuou pelo Flu de 2009 a 2018. Fez 414 jogos e 29 gols. Foi bicampeão brasileiro (2010 e 2012), campeão carioca (2012) e da Primeira Liga (2016).