Marcos Felipe destacou treinamento para velocidade de reação (Foto: Lucas Merçon - FFC)

Se Fred foi o grande destaque na vitória de 2 a 1 do Fluminense sobre o Independiente Santa Fe, na última quarta-feira, na Colômbia, Marcos Felipe também merece um pouco dos holofotes. Afinal, fez grandes defesas na partida a ajudou a garantir o resultado. Uma delas, especificamente, chamou a atenção. No finalzinho, o goleiro pegou cabeçada à queima-roupa de Jorge Ramos e evitou o empate do adversário.

Ao comentar o lance, Marcos Felipe admitiu que foi a intervenção mais complicada da partida.

– Foi, com certeza. E pela importância do momento do jogo, era o último minuto se não me engano. Dentro do clube tem muito trabalho de velocidade de reação, junto com o André (Carvalho), Josmiro (Goes) e o João (Gonçalves, preparadores de goleiro). E antes do aquecimento a gente tinha feito aquele tipo de treinamento. Acabou que casou de acontecer no final do jogo, e ali foi pura velocidade de reação mesmo. Esperei só ele definir onde iria cabecear, não fiz leitura de onde a bola poderia ir, só esperei mesmo, e graças a Deus consegui fazer a defesa – explicou.

O Fluminense chegou a abrir 2 a 0 no Independiente Santa Fe, mas viu o adversário descontar. Com um a menos durante a maior parte do segundo tempo por conta da expulsão de Egídio, precisou segurar a pressão dos colombianos nos minutos finais.