Pelo Fluminense, Washington foi campeão brasileiro em 2010 e artilheiro da competição em 2008 (Foto: Wallace Teixeira - Photocamera)

Jogador com muitos gols na carreira, Washington fez uma crítica à ausência de centroavantes no futebol brasileiro. Ídolo no Fluminense, onde foi campeão brasileiro em 2010, o ex-atacante diz que os atuais homens de área passariam vergonha em sua época.

— O futebol tem que rever desde a base para produzir centroavante. É uma função para o time. Isso está perdendo, por isso as disputas… se eu fizesse 12 gols, 14, 15 gols, na minha época passava vergonha. Hoje você faz 12, não desrepeitando o Hulk, mas quem faz 14 já faz um contrato para fora. Eu tive que ser artilheiro duas vezes para fazer – disse, emendando:

— Não tem (o cara de área). E está sofrendo. (Hulk) não é centroavante, a função dele é outra. (Gabigol) não é um de área, o Pedro faz essa função.

Washington finalizou a explicação afirmando que considera errada a escasses dos chamados homem gol.

— Chegou num pensamento no futebol que se atacantes de movimentação, o estilo é outro. É totalmente errado. Começa errado. O Brasil foi campeão do mundo sempre com centroavante. Os clubes campeões mundiais também. Quiseram mudar. Por isso o gol é baixo. Não tem o homem de área, o centroavante de um jogo difícil que joga pro centroavante e ele resolve. Está complicado – falou ao podcast “Flow Sport Clube”.

Na soma de duas passagens pelo Fluminense (uma em 2008 e a outra em 2010), o Coração Valente disputou 83 jogos e fez 45 gols. Campeão em 2010, foi um dos artilheiros do Brasileirão de 2008, com 21 bolas na rede, empatado com Keirrison (Coritiba) e Kléber Pereira (Santos).