(Foto: Lucas Merçon)

O frio de 5ºC parecia o menor dos problemas do Fluminense diante da dificuldade de lidar com a altitude de Potosí. Ao fim do jogo, o desgaste foi tanto, que os jogadores mal conseguiram comemorar a classificação, e se estatelaram no gramado exaustos e absolutamente sem pernas.

Todo esse cenário causou uma imensa preocupação para a comissão técnica do Fluminense em relação a alguns atletas. Marcos Júnior, por exemplo, não apresentou bons resultados no exame de oxigênio e foi cortado da partida, ficando fora inclusive do banco de reservas. Ayrton Lucas foi outro que não vinha se sentindo bem. O lateral “chegou a ficar branco” e foi se checar com os médicos por três vezes, segundo Abel. Por pouco, também não começou jogando.

Gilberto era outro que também preocupava. Durante a partida, os médicos perguntaram ao lateral se estava se sentindo bem. Por ter corrido demais, em determinado lance, o lateral deu um pique e o banco de reservas gritou: “Calma, Gilberto! Não precisa subir!”. Apesar das dificuldades, tudo foi superado, e o Flu voltou com a classificação na bagagem.