Castilho superou Fred na eleição de jornal

A equipe do jornal O Globo/Extra fez uma eleição dos 30 maiores ídolos da história do Fluminense. Segundo a reportagem, Castilho e Fred disputaram ponto a ponto a primeira posição. O ex-goleiro acabou superando o centroavante. Logo atrás, vêm nomes como Assis, Rivellino, Telê Santana e Romerito.

Confira a íntegra da lista elaborada pelo jornal:

  1. Castilho
    Um exemplo de amor à camisa. Castilho é o jogador que mais vezes entrou em campo pelo tricolor e fez parte de inúmeras conquistas importantes na história do clube, além de participar do bicampeonato mundial da seleção em 1958 e 1962. Mas nada supera quando amputou parte do dedo mindinho para voltar mais rápido aos gramados e defender a meta do Fluminense.
  2. Fred
    Quem não foi ‘pego’ pelo Fred que atire a primeira pedra. Maior referência dos tricolores no século e um dos maiores artilheiros da história do clube, o camisa 9 marcou uma geração. O centroavante foi fundamental numa importante reviravolta da história tricolor e determinante na arrancada contra o rebaixamento em 2009 e o bicampeonato nacional em 2010 e 2012.
  3. Assis
    ‘Recordar é viver, Assis acabou com você’. Quem não lembra do carrasco do Flamengo nos anos 80? Assis é o sinônimo de ‘predestinado’. Foi peça fundamental na conquista do tricampeonato carioca e do Campeonato Brasileiro de 1984, mas os gols decisivos contra o maior rival tricolor eternizaram o seu nome na história e conquistou a arquibancada.
  4. Rivellino
    Um dos maiores nomes do futebol brasileiro nos anos 70, Rivellino foi o maestro de um dos melhores times da história do Brasil: a ‘Máquina Tricolor’. Com gols antológicos, como o famoso elástico contra o Vasco, o eterno camisa 10 marcou uma geração de tricolores e encantou o mundo com vestindo as cores verde, branca e grená.
  5. Telê Santana
    O ‘Fio de Esperança’ é o retrato da dedicação e respeito. Telê Santana honrou a camisa do Fluminense durante quase uma década e conseguiu marcas expressivas como se tornar o terceiro jogador que mais atuou e o quinto maior artilheiro da história do clube. Torcedor declarado, seu amor pelo clube será sempre lembrado.
  6. Romerito
    ‘Don Romero’ era o toque de classe que faltava para o time que conquistaria o Campeonato Brasileiro em 1984. Com gols decisivos como contra o Vasco na decisão nacional e diante do Bangu em 1985, Romerito conquistou os tricolores e fez parte de um time que marcou uma geração.
  7. Waldo
    Maior artilheiro da história do clube. Centroavante clássico, atordoava os adversários marcando gols de todos os jeitos e formas. Waldo foi lapidado nas Laranjeiras e passou de um ‘peladeiro’, na linguagem popular dos boleiros, para um craque que foi brilhar na Europa e deixou seu nome eternizado na história tricolor.
  8. Conca
    Principal nome da conquista do Brasileirão de 2010, onde atuou em todas as 38 rodadas da competição, o argentino era uma mistura de classe com raça. Sua dedicação e profissionalismo com a camisa tricolor fez com que se tornasse um dos maiores ídolos da história do Fluminense.
  9. Washington
    O metade do ‘carrasco’ Assis. O artilheiro formou uma das duplas mais carismáticas e vitoriosas da história do Fluminense, o ‘Casal 20’. Washington fez gols decisivos e antológicos, como o de bicicleta contra o Flamengo.
  10. Didi
    Era tão elegante dentro de campo que só faltava jogar de terno. Um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos, Didi recebeu a alcunha de ‘Príncipe Etíope’ de Nelson Rodrigues e era chamado de ‘Mr. Football’ pela imprensa internacional. Maestro tricolor na conquista da Copa Rio 1952 e do bicampeonato mundial da seleção em 1958 e 1962, o inventor da ‘folha seca’ também marcou o primeiro gol da história do Maracanã.
  11. Carlos Alberto Torres
    Eterno capitão. Criado nas divisões de base do Fluminense, é um dos maiores laterais de todos os tempos. Símbolo da geração tri mundial, o velho ‘Capita’ performava com brilhantismo nos dois lados do campo e ainda contribuiu na contratação do paraguaio Romerito nos anos 80.
  12. Gerson
    O ‘Canhotinha de Ouro’ sabia como poucos como era jogar com maestria e inteligência. Um dos maiores nomes da história do futebol brasileiro, fez parte da história seleção tricampeã mundial em 1970 e encantou o mundo com seus passes. Tricolor de coração, Gerson se aposentou vestindo a camisa tricolor e, mesmo já na reta final da carreira, ainda encantava como poucos e conquistou um estadual.
  13. Pinheiro
    Um dos integrantes da ‘santíssima trindade’ tricolor. Pinheiro foi um dos melhores zagueiros da história tricolor e cumpriu sua função como ninguém. Pinheiro é o segundo atleta que mais vezes vestiu a camisa do clube e foi peça fundamental nos anos 1950.
  14. Preguinho
    Definição de atleta. João Coelho Netto, filho ilustre da família tão ligada ao clube, praticou oito modalidades esportivas ao longo da carreira e é um dos maiores atletas do Brasil em todos os tempos. Foi o autor do primeiro gol da Seleção Brasileira em Copas do Mundo.
  15. Gum
    Se hoje o Fluminense carrega a alcunha de guerreiro, muito se deve a Gum. O bicampeonato brasileiro e a campanha que levou o Fluminense à final da Copa Sul-Americana de 2009 são pouco quando comparados com o peso que o zagueiro adquiriu nos nove anos de clube. O carinho da torcida não deixa duvidas da sua idolatria.
  16. Thiago Silva
    Raça, habilidade e vigor. O ‘Monstro’, apelido dado pela torcida tricolor, fez parte de uma importante história do clube e marcou uma geração de tricolores. Além das suas conquistas, Thiago Silva marcou principalmente pela sua dedicação dentro de campo. Superou a tuberculose e honrou a camisa como se tivesse quatro pulmões.
  17. Branco
    Símbolo de garra. Branco ficou marcado pelo espírito de guerreiro e foi peça fundamental na conquista do tricampeonato estadual e do título brasileiro de 1984. Mesmo tão jovem, foi capaz de formar uma ala esquerda ‘poderosa’ com o ponta Tato.
  18. Ézio
    O ‘Super Ézio’ lutava por um gol como o ‘Super-Homem’ para salvar o mundo nos quadrinhos. O artilheiro corria atrás das oportunidades como ninguém e marcou uma geração bastante sofrida nos anos 90. Ézio contrariava os críticos e ficou marcado na história do Fluminense pela seu amor e respeito à camisa.
  19. Félix
    Exemplo de superação. Sempre contestado, Félix sempre contrariou os críticos e foi um dos goleiros mais vitoriosos da história do futebol brasileiro. Frio, era chamado de ‘louco’ por se arriscar em divididas e saltar em bolas que poucos goleiros saltariam. Mas sua ‘loucura’ o eternizou como tricampeão mundial com a mitológica Seleção Brasileira e o título brasileiro em 1970, além de quatro estaduais.
  20. Renato Gaúcho
    Quem não lembra do histórico gol de barriga contra o Flamengo em 1995? O apelido de Rei do Rio não foi conquistado a toa por Renato Gaúcho, que gravou seu nome na história do Fluminense com gols, títulos e muita identificação com a torcida tricolor.
  21. Thiago Neves
    Entre idas, vindas e lances marcantes, Thiago Neves tem uma das histórias mais bonitas entre os jogadores que vestiram a camisa do Fluminense. Decisivo na final da Copa do Brasil de 2007, autor de três gols na final da Libertadores de 2008, campeão brasileiro em 2012… Não faltam feitos históricos com o uniforme tricolor.
  22. Deco
    O mago. Após construir a carreira sólida na Europa, faltava também conquistar títulos expressivos no Brasil. E foi o Fluminense foi o que clube que abriu as portas para o camisa 20. Entre lances de habilidade para alguns e mágicos para outros, foram dois títulos do Campeonato Brasileiro na conta.
  23. Orlando Pingo de Ouro
    Xodó da torcida nos anos 40 e 50, Orlando “Pingo de Ouro” era um atacante hábil, inteligente, de deslocamentos rápidos. Teve papel fundamental na conquista da Copa Rio de 1952 e está na galeria de maiores artilheiros da história do Fluminense.
  24. Paulo Cézar Caju
    Paulo Cézar foi uma das grandes contratações da Máquina Tricolor, que dominou o futebol brasileiro. Campeão mundial com a seleção brasileira, é mais um dos vários craques que defenderam o Fluminense.
  25. Marcos Carneiro
    O goleiro é lembrado pela fita roxa com que amarrava o calção, presente que servia-lhe de amuleto. Foi o primeiro goleiro da história da seleção brasileira e primeiro na enorme lista de especialistas na posição consagrados no Fluminense.
  26. Altair
    Campeão mundial em 1962 com a seleção brasileira, Altair chamou a atenção no futebol desde muito cedo. É o quarto jogador que mais atuou pelo Fluminense, sendo conhecido como o melhor marcador que Garrincha, ídolo do Botafogo, teve na carreira.
  27. Ricardo Gomes
    Formado nas categorias de base do Fluminense, se destacava por ser um zagueiro extremamente técnico e despontou como um dos melhores de sua geração. Mesmo jovem, assumiu a titularidade do Tricolor e teve destaque no título brasileiro em 1984.
  28. Paulo Vítor
    Goleiro tricampeão carioca em 1983/1984/1985 e campeão brasileiro de 1984, tendo tido uma média de apenas 0,5 gols, com 12 gols tomados em 24 jogos, a mais baixa dos goleiros do Fluminense no torneio.
  29. Diego Cavalieri
    Quem não lembra da defesa de pênalti contra Botinelli, do Flamengo? Aliás, a temporada 2012 inteira pode ser lembrada com carinho por Cavalieri. Herói do título brasileiro daquele ano, ele entrou para a concorrida galeria de maiores goleiros da história do clube. Consequentemente, de maiores ídolos também.
  30. Marcão
    O típico caso que mostra que não é preciso ser um artilheiro ou ter grande habilidade para ser considerado um ídolo. Volante de origem, Marcão se destaca pela dedicação que sempre teve com a camisa do Fluminense. Foram sete anos de títulos, marcas históricas e identificação com os torcedores.

Para chegar aos 30 nomes, o jornal convidou 30 jornalistas para votarem nos ídolos tricolores. O NETFLU esteve representado pelos jornalistas Leandro Dias, Paulo Vitor Vasconcelos e Paulo Brito.