Borja é um dos destaques do Junior e está fora por suspensão (Foto: Divulgação - Site oficial do Barranquilla)

Nesta terça-feira, o Fluminense encara o Junior Barranquilla (COL), no Maracanã, às 21h30, em partida que vale a classificação matemática ao Tricolor para as oitavas de final da Taça Libertadores. Para os colombianos, o jogo também vale muito. Vale a sobrevivência do Junior na competição, que está na 3ª colocação, com 3 pontos, e ainda não venceu nenhum jogo.

Em entrevista exclusiva ao NETFLU, Quique Barona, jornalista colombiano da RCN RADIO, comentou sobre as ausências do Junior Barranquilla para o duelo, que estará sem dois de seus principais atletas por suspensão, e apontou os atletas do Time de Guerreiros que mais preocupam a defesa do clube estrangeiro: Kayky, apesar de ter confundido o nome com o de Calegari, e Luiz Henrique.

– Tem alguns jogadores que são muito importantes no time do Fluminense, principalmente o Calegari (Kayky). Ele é um jogador muito interessante que faz a diferença no seu drible na forma como vai para o ataque, achamos que ele é um jogador muito perigoso e por isso temos que tentar sempre controlá-lo, assim como Luiz Henrique, que são os homens dos extremos fundamentais neste esquema do time do Rio – disse ele, falando também sobre os desfalques do Junior:

– Na lista de convocados da equipe do Barranquilla há várias novidades. O técnico Amaranth Perea não quis confirmar quem serão os atletas que vão entrar, mas não poderá contar com Borja devido a uma sanção acrescentada e Fredy Hinestroza. Outro que não pode jogar é Fabián Ángel, além de mais dois jogadores que não está lá porque têm um problema físico, o mesmo caso do zagueiro Germán e Teófilo Gutiérrez que tiveram lesão há muito tempo e não têm conseguido superá-la. O venezuelano Luis González também está no processo de recuperação e costuma fazer parte da equipe titular – contou.