Reginaldo tem contrato com o Fluminense até 2021

Na montagem do elenco para 2020, o Fluminense pode contar com reforços caseiros. O Tricolor, em princípio, tem cinco jogadores para retornar de empréstimos a outros clubes. Aí ficará a cargo da diretoria e da comissão técnica comandada por Odair Hellmann avaliar se eles serão aproveitados. Tratam-se do zagueiro Reginaldo (Ponte Preta), o volante Orejuela (LDU (EQU)) e os atacantes Robinho (Vila Nova), Matheus Alessandro (Fortaleza) e Lucas Fernandes (Consadole Sapporo (JAP)).

Em relação aos que atuaram no Brasil, o Lance consultou jornalistas locais para avaliar as participações deles em seus respectivos times. Veja o que disseram:

REGINALDO (tem contrato com o Flu até o fim de 2021)

— Ele chegou em 2018 e fez dupla com o Renan Fonseca. A equipe teve a melhor defesa daquele ano e não subiu por pouco. O Reginaldo foi um dos melhores jogadores da equipe e, por isso mesmo, trataram de renovar esse empréstimo para 2019. Porém, esse ano, o jogador não foi tão bem. Ele iniciou o ano como titular, mas perdeu a posição. O desempenho de 2018 não se repetiu em 2019. Ele sofreu uma lesão muscular que acabou prejudicando e, depois, não voltou ao time titular – revelou o repórter Antônio Luppi que cobre o dia a dia da Ponte Preta pela Rádio Bandeirantes.

MATHEUS ALESSANDRO (tem contrato com o Flu até o fim de 2020)

— O Fortaleza já tinha tentado essa contratação no ano passado. Um jogador que gosta de atuar em velocidade pelas beiradas, mas não conseguiu uma sequência de jogos e nem ser titular em nenhum momento. O Matheus não conseguiu assimilar a filosofia do Rogério Ceni que preza bastante pelo entendimento tático do jogo. A temporada foi bem abaixo do esperado. Um dos atletas que menos atuaram. Podemos dizer que foi uma passagem bem discreta – afirmou o repórter André Almeida, do Jornal Diário do Nordeste.

ROBINHO (tem contrato até o fim de 2020)

— Posso dizer que, como boa parte do elenco do Vila na temporada, o desempenho do Robinho foi ruim. Aconteceu uma situação pontual com o jogador, não sei o quanto isso contribuiu para que ele não tivesse confiança. Ele foi cobrado por torcedores em uma rede social e acabou respondendo de uma forma que não agradou dentro do grupo. Depois disso foi perdendo espaço e ficou no banco de reservas – revelou o repórter Charlie, da Rádio Sagres de Goiânia.

Em relação aos que atuaram fora do país, tanto Lucas Fernandes e Orejuela possuem contrato até o término do próximo ano. O atacante fez 40 jogos e três gols pelo Consadole. O último foi no dia 7 de dezembro, em derrota por 2 a 1 para o Kawasaki Frontale. Já o volante atuou pela LDU nos últimos dois anos. Na atual temporada, disputou 32 partidas e não fez gol. Jogador basicamente de marcação, levou quatro cartões amarelos e um vermelho. O clube equatoriano quer mantê-lo, mas precisa se acertar com o Fluminense.