(Foto: Tatiana Zanatta)

Titulares de Flamengo e Fluminense, Lucas e Luan, respectivamente, se enfrentam neste sábado, às 10h, nas Laranjeiras, pelo primeiro jogo das semifinais do Campeonato Estadual Sub-17. Gêmeos idênticos, os zagueiros foram levados pelo lateral Egídio, hoje no Cruzeiro, na época que o mesmo ainda atuava pelo rubro-negro.

– Morávamos em um condomínio na Praça Seca (Zona Oeste do Rio de Janeiro). A tia Ana (mãe do Egídio), uma pessoa maravilhosa, viu os meninos da janela jogando na quadra e os achou diferentes. Ela falou com o Egídio, que estava em casa, e ele chamou os dois para um teste no Flamengo. O Lucas está até hoje, vai completar 10 anos. E o Luan saiu no fim do ano passado e está no Fluminense – recordou Luiz Cláudio, pai da dupla, em entrevista ao portal Globoesporte.

A única diferença entre os irmãos é que Luan é destro e Lucas é canhoto. De resto, ambos são semelhantes em tudo, voz, jeito, timidez, etc. E isso, obviamente, causou muitas confusões e situações curiosas entre os dois no meio do futebol. Lucas relembrou um desses episódios.


– Meu pai tinha acabado de comprar a mesma chuteira para os dois e fomos direto para o jogo. O treinador não queria nos deixar jogar porque não conseguiria nos identificar. Coloquei uma meia branca (por cima da meia do Flamengo) e jogamos. No próximo jogo meu pai pintou uma chuteira. Era azul, e ele pintou uma de vermelho. Aí deu para diferenciar (risos) – relembra Lucas.

Hoje no Flu, o zagueiro Luan admitiu que, inicialmente, foi complicado se separar do irmão, até porque os dois nasceram juntos, cresceram juntos e faziam tudo juntos. No entanto, ele se sente bem no Fluminense.

– No início foi um pouco complicado porque a gente vivia junto, fazia tudo junto, o dia todo. E agora eu estou bem no Fluminense. O Lucas está bem, graças a Deus, lá no Flamengo, e vida que segue. Sabíamos que uma hora íamos nos separar. A hora chegou e seguimos em frente – conta o tricolor Luan.