Kalil está por trás da 'revolução' no futebol nacional
Kalil está por trás da ‘revolução’ no futebol nacional

O que a CBF mais temia pode vir a ocorrer. A recém-fundada Liga Sul-Minas-Rio tem chances de se tornar um Liga Nacional antes do previsto. A entidade se reúne nesta quinta-feira, em Curitiba, e discutirá a entrada de novos membros. Atualmente formada por 15 clubes-fundadores, pode chegar a 20 integrantes.

Ela tem no seu comando o ex-presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, que ocupa o cargo de diretor executivo. O dirigente, que cedeu um de seus imóveis para estabelecer a sede da Sul-Minas-Rio, em Belo Horizonte, tem encontro com o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, na próxima sexta-feira.

– Na semana passada, mandamos uma carta de intenção endereçada ao Gilvan (Tavares, presidente do Cruzeiro), que está tomando conta disso ao lado do Kalil nessa primeira instância, declarando o nosso desejo de se juntar a eles – revelou o presidente do Goiás, Sérgio Rassi.

O Santos, mesmo com contrato recém-renovado no Paulistão, foi atrás de mais informações também. Existem ainda outras equipes menores que se encontram em compasso de espera.

– Recebemos o interesse de diversos clubes e a gente quer debater isso para ver se aceitamos agora ou não. Acredito que a competição em 2016 não comporta mais participantes do que imaginamos, será um torneio mais curto, é um ano atípico, calendário apertado com Olimpíada, mas, para 2017 em diante, a gente pode, sim, crescer mais – comentou Gilvan Tavares, presidente temporário da Liga Sul-Minas-Rio até dezembro.


Sem comentários