(Foto: Lucas Merçon - FFC)

Depois de uma viagem cansativa até Barranquilla, local onde o Fluminense enfrentaria o Junior (COL), nesta quinta-feira, pela Libertadores, o Tricolor teve que fazer um novo deslocamento até Guayaquil. Isso porque a partida foi transferida pela Conmebol em razão dos protestos em solo colombiano contra a reforma tributária no país.

Em entrevista ao programa “Seleção SporTV”, nesta quinta, o presidente Mário Bittencourt contou detalhes do contato do clube com a Conmebol antes da viagem para Barranquilla. O Flu recebeu o “sinal verde” da entidade para prosseguir, mesmo sob o risco de mudança.

– Um funcionário da Conmebol falou comigo toda a tarde para solucionar o problema e foi muito cordial, muito educado e nos ajudou bastante. A Conmebol consultou o Governo Colombiano que garantiu a segurança (para a partida), mas chegando aqui as coisas mudaram. Nós fomos impedidos de sair dos treinos ontem por 15 minutos, pois estava ocorrendo um protesto ao lado do nosso hotel. Então, a melhor solução que a Conmebol encontrou foi levar a partida para Guayaquil e, apesar do cansaço, a gente está cumprindo tudo aquilo que foi combinado e o Fluminense está se esforçando bastante. Obviamente que a gente tem uma perda física e um desgaste mental enorme. Estamos mais desgastados que o nosso adversário pois fizemos um deslocamento de quase 24 horas e o adversário por apenas 2 horas. A gente vai enfrentar esses desgastes mas o lema da nossa equipe é o ‘Time de Guerreiros’, eu tenho certeza que a gente vai superar essa adversidade toda e vamos trazer esses três pontos para a nossa torcida que está nos apoiando o tempo inteiro – disse o mandatário tricolor.