De maneira pública, a GL Events, uma das candidatas a assumir o Maracanã, anunciou que não mais disputaria a compra da concessão com a Lagardère. Entretanto, a comunicação não foi oficializada à Odebrecht. De acordo com o jornal O Globo, tratava-se de uma estratégia da GL para que a atual dona do consórcio diminua as garantias jurídicas.

E a concorrente da Lagardère obteve êxito. As partes vão se encontrar nesta quinta-feira, para voltar a discutir os termos do contrato.

A GL Events é a favorita da Odebrecht para vencer a disputa e que tinha a negociação mais avançada. A empresa francesa, que já administra a Arena Multiuso do Rio (HSBC Arena) e o Riocentro, possui mais garantias financeiras e, por isso, estava perto de fechar o negócio.

Na última segunda-feira, executivos da empresa acharam que iam fechar o negócio, mas segundo fontes ligadas à empresa, a Odebrecht teria mudado as garantias jurídicas o que fez com que o acerto andasse não evoluísse. Fontes ligadas da Odebrecht confirmam o desentendimento em relação à forma de pagamento dos cerca de R$ 60 milhões que a GL Events pagará caso de fato vença a concorrência.